Pular para o conteúdo principal

Destaques

Revolutionary Love: Série coreana de drama explora o abismo que divide as classes sociais

Embora muitos dramas coreanos pequem na representatividade de diversidade racial e deem pouquíssimo espaço para estrangeiros e imigrantes, a série Revolutionary Love (2017) da tvN e no Brasil disponível temporariamente pela Netflix , acaba indo além dos elementos de comédia e romance, mostrando o drama das diferenças de classes sociais , os preconceitos e a possibilidade de imersão nesse mundo desconhecido pelo filho do dono de um dos maiores conglomerados de empresas da Coreia do Sul . A ingenuidade e a ignorância da realidade das classes trabalhadoras tornam o protagonista um tanto embaraçoso, lembrando de forma vaga a jornada de Buda quando conheceu a realidade fora do palácio e foi confrontado com a fome, a doença, a pobreza e a morte. Longe de ser uma série com alguma alegoria espiritual, mas do ponto de vista do comportamento é interessante acompanhar como Byun Hyuk (Choi Si-won) se torna mais empático e humanizado quando seu caminho cruza com o de Baek Joon (Kang So-ra) . E

Love Alarm: Série coreana da Netflix imagina o amor nas mãos da tecnologia

 A Netflix tem apostado cada vez mais em produções sobre a relação entre o amor e a tecnologia. Entre a esperança de aplicativos facilitando os relacionamentos e o terror de quando causam mais prejuízos, Love Alarm é uma série sul-coreana com doses de drama e romance sobre um app (homônimo ao título) que apita em um raio de dez metros quando a pessoa está próxima de alguém que gosta.

A série gira ao redor de três personagens no ensino médio em sua primeira temporada. Com uma pegada mais romântica e dramática do que The One (também sobre aplicativo de amor), Love Alarm mostra como um aplicativo pode provocar alegria e prazer quando alguém que te ama o faz tocar, mas também lembra da sensação amplificada de solidão quando outras pessoas conseguem encontrar um par e você não.

Da transição da adolescência e flashbacks dos passados dos personagens, fazendo o telespectador entender um pouco sobre suas personalidades e relações, até o início da vida adulta, o roteiro mostra o amadurecimento gradual dos personagens e como eles aprenderam a lidar com as próprias emoções.

Love Alarm é uma série para quem gosta de triângulos amorosos, mas também para quem quer entender os possíveis impactos do excesso de confiança na tecnologia e dependência digital quando se tratam de sentimentos e relacionamentos. O dorama se foca no amor e na importância de curar as feridas do passado.

Durante evento de divulgação da segunda temporada de Love Alarm, os atores sul-coreanos que interpretaram a Kim Jojo (Kim So Hyun) e o Sun Oh (Song Kang) foram questionados se usariam o aplicativo se existisse na vida real. Ambos atores que responderam sobre a importância de usar as palavras para expressar os sentimentos. 

Love Alarm foi baseada em um quadrinho online de 2014 criado por Chon Kye-young. A série foi dirigida por Lee Na-jeong, Kim Jin-woo e Park Yoo-yeong. 

Ainda não se sabe se Love Alarm terá uma terceira temporada. A esperança dos fãs que não gostaram do final da segunda temporada está no fato de que o quadrinho online que serviu de base para a série continua sendo publicado.

Vale a pena assistir também: My Holo Love.

*Ben Oliveira é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

Mais lidas da semana