Pular para o conteúdo principal

Destaques

Para Toda a Eternidade: Livro explora rituais funerários diversos

Entre a naturalidade e o espanto, o tradicional e o moderno, o ocidental e o oriental, Caitlin Doughty transmite ao leitor histórias de suas visitas a espaços e profissionais envolvidos com o universo mortuário. Uma das obras pedidas por quem já tinha lido Confissões do Crematório, o novo livro foi publicado no Brasil pela editora DarkSide Books, em junho de 2019, com tradução de Regiane Winarski e ilustrações de Landis Blair.


Compre o livro Para Toda a Eternidade (Caitlin Doughty): https://amzn.to/2R2FwqN

“Eu passei a acreditar que os méritos de um costume relacionados à morte não são baseados em matemática [...] mas em emoções, numa crença na nobreza única da própria cultura da pessoa. Isso quer dizer que consideramos os rituais de morte selvagens apenas quando eles não são como os nossos” – Caitlin Doughty, Para Toda a Eternidade
Dá para ler tranquilamente Para Toda a Eternidade sem ter lido Confissões do Crematório, mas acredito que as duas leituras são complementares. Enquanto na p…

Interatividade na Web

A Web 2.0 tem como uma de suas maiores premissas a interatividade. Stefanie Carlan da Silveira, em seu artigo: "Jornalismo e interatividade na Web 2.0: a produção de conteúdo pelo público em redes digitais", acredita que esta segunda geração da Internet "está baseada no princípio da construção coletiva, no incentivo do caráter colaborativo e na valorização da participação dos sujeitos".

Seguindo este princípio da construção coletiva, os usuários têm a possibilidade de produzir seus próprios conteúdos e publicá-los na Internet, a autora acredita que desta forma, "aumenta o número de publicações produzidas por cidadãos-comuns e reduzem-se as etapas de distribuição da informação".

Exemplos de interação
  • No site de vendas da Amazon existe a possibilidade dos internautas recomendarem produtos;
  • Na Wikipedia o contéudo é criado pelos usuários de forma colaborativa;
  • Em sites como o facebook ou del.icio.us os usuários podem "registrar no site os seus links favoritos e disponibilizar essa lista para toda a web"
No jornalismo, além de muitos sites de notícias dedicarem uma sessão aos "leitores-repórteres", criação de conteúdo pelos leitores, eles também podem sugerir pautas, enviarem informações que sejam relacionadas ao tema, desde relatos a fotografias / vídeos, comentarem, responderem enquetes e debaterem os assuntos.

A interatividade é importante para a comunicação, forçando as empresas do setor a interagirem cada vez mais com o público-alvo. Observamos no cotidiano, a entrada progressiva de empresas nas redes sociais para uma maior integração com seus clientes, porém nem todas estão conseguindo utilizá-las corretamente.

O que poderia tornar-se mais um canal de comunicação, está se tornando somente mais um meio de publicação de conteúdos, muitas vezes, acontecendo de forma "robótica". E o contato que deveria ser prioridade nas redes sociais, torna-se perdido.

Referências

SILVEIRA, Stefanie Carlan da. Jornalismo e interatividade na Web 2.0: a produção de conteúdo pelo público em redes digitais
Disponível em: http://encipecom.metodista.br/mediawiki/index.php?title=Jornalismo_e_interatividade_na_web_2.0%3B_a_produ%C3%A7%C3%A3o_de_conte%C3%BAdo_pelo_p%C3%BAblico_em_redes_digitais&oldid=6069

Comentários

Mais lidas da semana