Pular para o conteúdo principal

Destaques

Para Toda a Eternidade: Livro explora rituais funerários diversos

Entre a naturalidade e o espanto, o tradicional e o moderno, o ocidental e o oriental, Caitlin Doughty transmite ao leitor histórias de suas visitas a espaços e profissionais envolvidos com o universo mortuário. Uma das obras pedidas por quem já tinha lido Confissões do Crematório, o novo livro foi publicado no Brasil pela editora DarkSide Books, em junho de 2019, com tradução de Regiane Winarski e ilustrações de Landis Blair.


Compre o livro Para Toda a Eternidade (Caitlin Doughty): https://amzn.to/2R2FwqN

“Eu passei a acreditar que os méritos de um costume relacionados à morte não são baseados em matemática [...] mas em emoções, numa crença na nobreza única da própria cultura da pessoa. Isso quer dizer que consideramos os rituais de morte selvagens apenas quando eles não são como os nossos” – Caitlin Doughty, Para Toda a Eternidade
Dá para ler tranquilamente Para Toda a Eternidade sem ter lido Confissões do Crematório, mas acredito que as duas leituras são complementares. Enquanto na p…

Internet, Um Universo Paradoxal

A Internet é paradoxal, de acordo com Pierre Levy, ela pode integrar as pessoas e contribuir com o pluralismo. Contrário a opinião do filósofo, está a do sociólogo francês, Dominique Wolton que acredita que a Internet facilitou o isolamento dos indivíduos em comunidades, pois cada vez mais as pessoas buscam somente assuntos que sejam de seu interesse.

Acreditava-se que a Internet resolveria todos os problemas, mas para Dominique Wolton: “As informações avançam rápido, já a comunicação, muito devagar. Identificamos erroneamente as técnicas de comunicação ao progresso, e esquecemos da complexidade do homem”.

Conseguimos evoluir na velocidade de difusão de conhecimento através da rede de computadores, todavia a comunicação entre os indivíduos precisa ser melhorada. Em entrevista, Wolton afirma: “a comunicação deve conviver pacificamente com as novas tecnologias”.

Pierre Levy alertou em seu texto: “A revolução contemporânea em matéria de comunicação” sobre como esta rede de computadores contribuiria com a democracia e com a circulação de conhecimentos, de certa forma, ele estava correto. Atualmente, buscam-se conteúdos facilmente, impossível comparar a outras épocas em que a internet não existia, e só conseguia-se determinada informação com profissionais da área ou através de livros, revistas e jornais. A busca era manual.

Contradizendo Levy, Dominique Wolton explica sobre a aparente democracia e a considera como uma utopia. O sociólogo francês acredita que não existe democracia sem intermediários. Apesar da internet ter aumentado a interação, ainda não existe uma democracia, pois de acordo com ele, as eleições seriam a melhor forma eliminar o que as pessoas não concordam, o que não acontece na prática.

É preciso equilibrar as opiniões dos dois autores, pois sem este balanço, acabamos enxergando a Internet através de uma ótica muito radical, polarizada (boa ou ruim).

Referências

LEVY, Pierre. “A revolução em matéria de comunicação”.

TORRES, Bolívar. “Entrevista com Dominique Wolton: A desconstrução das utopias digitais”.

Comentários

  1. Oi Ben, enfim consegui te responder...
    Estou trabalhando e até a uma semana atrás fazendo cursinho, mas desisti, dormir 3 horas por dia estava muito complicado. Mas como está você? Escrevendo bastante?
    Tem um monte de coisa nova aqui ein? Vou ler tudo. ^^
    Até mais.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana