Pular para o conteúdo principal

Destaques

Revolutionary Love: Série coreana de drama explora o abismo que divide as classes sociais

Embora muitos dramas coreanos pequem na representatividade de diversidade racial e deem pouquíssimo espaço para estrangeiros e imigrantes, a série Revolutionary Love (2017) da tvN e no Brasil disponível temporariamente pela Netflix , acaba indo além dos elementos de comédia e romance, mostrando o drama das diferenças de classes sociais , os preconceitos e a possibilidade de imersão nesse mundo desconhecido pelo filho do dono de um dos maiores conglomerados de empresas da Coreia do Sul . A ingenuidade e a ignorância da realidade das classes trabalhadoras tornam o protagonista um tanto embaraçoso, lembrando de forma vaga a jornada de Buda quando conheceu a realidade fora do palácio e foi confrontado com a fome, a doença, a pobreza e a morte. Longe de ser uma série com alguma alegoria espiritual, mas do ponto de vista do comportamento é interessante acompanhar como Byun Hyuk (Choi Si-won) se torna mais empático e humanizado quando seu caminho cruza com o de Baek Joon (Kang So-ra) . E

Crossmedia e Storytelling

O blog Midiatismo divulgou em seu blog, no dia 13 de setembro de 2011, uma entrevista com o consultor de Storytelling e professor do curso de Inovação em Storytelling, Bruno Scartozzoni.

Scartozzoni explicou a diferença entre Crossmedia e Storytelling, dois conceitos recentes e bastante confundidos; a importância da internet na difusão destes conceitos e a relação com as mídias sociais; a apropriação de storytelling por pequenas e médias empresas; a utilização pelo mobile marketing da storytelling e do crossmedia.

Confira a entrevista na íntegra

Comentários

Mais lidas da semana