Pular para o conteúdo principal

Destaques

Dia do Orgulho Autista: Amor próprio e autoaceitação das diferenças

Hoje, 18 de junho, é Dia do Orgulho Autista. Muitos colegas no Brasil e em vários países estão lutando por uma sociedade menos preconceituosa.


Orgulho duplo para alguns
Existem muitas pessoas no espectro autista que são LGBTQ. Comemoramos de forma dupla em junho. O símbolo da Neurodiversidade também é colorido. 🌈

No dia 18 de Junho, é comemorado o Dia do Orgulho Autista (Autistic Pride Day). A data foi criada pelo grupo Aspies for Freedom, celebrada pela primeira vez em 2005. De lá pra cá, muitas coisas mudaram: temos muito mais informações sobre autismo do que tínhamos, porém, o preconceito ainda é um problema.

14 anos após a primeira edição do Dia do Orgulho Autista: alguns problemas permanecem e provavelmente sempre permanecerão. Muitas pessoas não entendem a importância da data para autistas, pois presumem que temos vergonha de quem somos e se esquecem de que somos todos diferentes (Neurodiversidade).

A data é importante, pois as taxas de suicídio entre autistas é altíssima, muita…

Revistas gays - Mais do que fotos sensuais


Quando viajei para Natal (RN) comprei três revistas gays brasileiras na Livraria Saraiva do Shopping Midway. Aproveitei a oportunidade, já que onde eu moro, em Campo Grande (MS), é praticamente impossível encontrar estas publicações.

Entre as revistas compradas estavam a Revista Junior, que eu já conhecia há mais de dois anos e sempre simpatizei com a publicação, apesar de não assinar, e duas novatas: a terceira edição da H Magazine, da editora Mix Brasil, a mesma responsável pela Junior e a primeira edição da revista Momento Inesquecível, uma publicação anual sobre a união homoafetiva, que ainda não tive tempo para ler.


Em tempos em que as publicações impressas perdem força, principalmente os jornais, vi na Revista Junior e na H Magazine a esperança nas revistas de nicho, especialmente as que são voltadas para o público gay. Apesar dos diversos sites e blogs gays, nada substitui a sensação de folhear uma revista com textos bem desenvolvidos e qualidade fotográfica, e até mesmo guardá-las, o que se perde no volume de informações publicadas na Internet e na superficialidade.

Enquanto a Revista Junior é voltada para um público jovem, o que reflete nas pautas, como fitness, beleza, moda e entrevistas e também nos modelos selecionados para as fotografias, a H Magazine é voltada para um público mais adulto e maduro.

A Junior me ganha nas imagens, reportagens e textos de músicas, baladas, moda, destinos turísticos, estética e entrevistas. Já a H Magazine, com seus textos sobre espetáculos teatrais e musicais, música, casamento gay, direitos, relacionamentos e colunas.

As colunas da H Magazine me surpreenderam. Na 3ª edição, uma coluna escrita por Tony Goes, sobre o casamento, sua legalização e críticas de diversos gays que são contra e acabam desmerecendo o trabalho daqueles que lutam pela igualdade, criminalização da homofobia e reconhecimento. Para o colunista, se a pessoa não quer casar, tudo bem, ninguém está sendo obrigado, mas este deve ser um direito. Também são ótimas a coluna do João Luiz Vieira sobre aparências e a coluna "Amadurecer com Dignidade", escrita por Gilberto Scofield, na qual o autor critica uma espécie de Síndrome do Peter Pan, que acomete os gays. Segundo Scofield, é deprimente ver gays com mais de 30 anos acharem o ponto alto da sua semana uma noite de bala com as amigas e seus comportamentos na balada, como a maneira que se vestem e agarração grupal, quase caricaturas.

Entre as reportagens desta edição da H Magazine estão uma sobre um evangélico que foi casado com uma mulher e foi expulso da igreja por ser gay; Soropositivos que sofrem com o dilema de contar sua condição; Divórcio para gays; Entrevista com o ator Roberto Camargo, prestes a completar 50 anos; Tolerância à diversidade sexual no Poder Público de Brasília; e outras.

Para quem ainda não conhece as revistas, recomendo a leitura. Mesmo com os homens bonitos e fotos sensuais, que aliás são ótimos atrativos, por conta do bom conteúdo vale a pena comprá-las.

Leia também: Momento Inesquecível - Casamento Gay é tema de nova revista brasileira

Imprensa Gay no Brasil

Advocate – Revista gay mais antiga dos Estados Unidos

Comentários

  1. Nossa, é difícil achar revistas "gays" aí em Campo Grande? bem moro no interior de Pernambuco, em uma cidade média, encontro facilmente nas poucas bancas que tem aqui... abraço :)

    ResponderExcluir
  2. Onde posso encontrar as atis revistas aqui em São Paulo? Pago o preço que for. Sou louco por esses garotões sarados e bem dotados. Me liguem:(011)97728 1155. Luyz Karlos

    ResponderExcluir
  3. A propósito tava lendo artigo sobre estas revistas no Observatório da Imprensa: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/_ed720_o_homem_de_verdade_e_seu_lado_hard

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana