Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Próxima Leitura: Orgias Literárias da Tribo – Editora Orgástica

Chegou hoje pelo correio minha próxima leitura: a coletânea de textos LGBT, Orgias Literárias da Tribo, organizada pelo escritor Fabrício Viana e publicada pela Editora Orgástica, em 2014. O livro tem textos escritos por gays, lésbicas e trans de São Paulo. Além de um texto escrito por mim sobre o Universo Literário Colorido.

Assim que terminar de ler As Rosas e a Revolução, da escritora Karina Dias, e resenhar o livro de romance lésbico para o Blog do Ben Oliveira, começarei a leitura do Orgias Literárias da Tribo e também resenharei para o blog, da editora parceira Orgástica.

PS: Também tem texto da Karina Dias no Orgias.

*Para mais informações sobre o livro Orgias Literárias da Tribo, acesse o site oficial do livro ou o site do escritor Fabrício Viana

Comentários

Mais lidas da semana