sexta-feira, 23 de maio de 2014

Resenha: O Sucesso de Escrever – Albert Paul Dahoui

Poucos livros no Brasil abordam a estrutura do romance de forma tão direta quanto O Sucesso de Escrever: Técnicas para se escrever um best seller, do falecido escritor brasileiro Albert Paul Dahoui. Publicada em 2005, pela Editora Corifeu, a obra tem 224 páginas. Leitura ideal para escritores iniciantes, com orientações práticas sobre a escrita.

A introdução do livro traz informações gerais sobre a importância da leitura do livro para autores, o perfil do leitor médio brasileiro, as diferenças entre ficção e não-ficção, os gêneros ficcionais, as diferenças entre tema, trama e gênero e o estilo. Autores estreantes, mas que já têm uma bagagem literária podem pular direto para a próxima parte, onde se concentram as informações mais relevantes do livro.

Depois do breve capítulo introdutório, o leitor pode mergulhar no ponto que lhe interessa: o planejamento do produto. Como assim produto? A não ser que a pretensão do autor seja escrever um romance que nunca será publicado e ficará na gaveta até o resto da sua vida, é preciso levar em conta que o livro é um produto e quanto melhor planejado, menos trabalho o escritor terá se souber onde começa e termina a história. É frustrante estar na metade do livro e perceber que você não sabe qual caminho seguir. Ou pior ainda, ter um milhão de ideias na cabeça, mas nunca colocá-las em prática.

Ainda na segunda parte do livro, Albert Dahoui aborda a Teoria dos Personagens. Segundo o autor, os personagens precisam ser bem planejados, visto que a trama dependerá de suas características, desejos e conflitos. São, então, descritos vários tipos de personagens, além da descrição de cada um deles, como protagonista, antagonista, guardião, tentador, incentivador, cético, racional e emotivo. O protagonista (personagem principal, que pode ser herói ou anti-herói) e o antagonista (força opositora ao herói) são os destaques, enquanto os outros são complementares à história, podendo orientar, apoiar, atrapalhar ou desanimar o herói.

Outro ponto interessante do livro é a descrição dos arquétipos de personalidade, facilitando ao escritor na hora de construir seus personagens. Albert Dahoui descreve as principais características de caráter, lado negativo do caráter e características físicas dos seguintes arquétipos: O Comerciante, O Guerreiro, O Caçador, O Mago, O Velho, O Terapeuta, O Monarca, O Príncipe, O Mestre, O Pescador, O Xamã, A Donzela, A Cerebrina, A Guerreira, A Anciã e A Militante. No entanto, para que os personagens fiquem complexos, o autor recomenda que as características sejam mescladas.

Dahoui recomenda que uma boa história precisa de um bom conflito. Em seguida, o autor sugere algumas regras para desenvolver personagens memoráveis. Ainda na segunda parte de O Sucesso de Escrever, o leitor aprende a estruturar a narrativa em três atos: Apresentação, Confrontação e Resolução. Para quem já leu A Jornada do Escritor, de Christopher Vogler, na qual o roteirista adapta as ideias de Joseph Campbell, de O Herói de Mil Faces, é descrita cada uma das etapas, com exemplo, ensinando o leitor a estruturar a história do começo ao fim.

A terceira parte de O Sucesso de Escrever é intitulada Executando o Produto. Albert dá orientações como desenvolver a narrativa: escolha do ponto de vista, sendo as mais comuns na ficção, a primeira pessoa e a terceira pessoa, levando em conta suas limitações; a importância de expor mais do que descrever para que o leitor possa imaginar, tirar suas próprias conclusões sobre os fatos e personagens; a objetividade; apresentação dos personagens; ritmo da história e principais erros de progressão da história. Os tópicos fundamentais nesta parte, para quem deseja desenvolver melhor seus romances são os das técnicas para enriquecer a narrativa, para prender o leitor, como a de criar suspense, tensão e credibilidade e o desenvolvimento dos diálogos, ponto que gera muita dúvida nos autores iniciantes e pode tornar a história maçante, quando não usados para enfatizar os momentos dramáticos ou cômicos, mas para tentar representar uma conversa do mundo real.

As partes finais do livro são menos densas em relação às destinadas ao planejamento e execução do produto. Na quarta parte é abordada a escrita de não-ficção de forma breve, portanto recomendo a leitura de livros específicos para quem se interesse pelo assunto. A quinta parte é chamada de embalando o produto, na qual o autor dá dicas sobre a revisão do texto, procura de editora, lançamento do livro, aspectos financeiros e cuidados. Novamente, recomendo a leitura aprofundada de livros específicos na sexta parte do livro, que aborda a escrita para outras mídias, na qual por não ser o foco do livro, o autor descreve de forma superficial a diferença dos textos para determinados meios de comunicação, como cinema, televisão e teatro.

A sétima parte do livro traz informações gerais abordando como funciona o mercado editorial norte-americano, na qual é possível perceber os contrastes com a realidade do escritor brasileiro. O autor também recomenda alguns softwares para escritores, dá dicas de encontrar informações na internet (algumas desatualizadas pela data de publicação do livro) e palavras de incentivo para quem deseja ser escritor, mas sempre tem alguma desculpa ou limitação, como a falta de tempo, falta de talento ou insegurança.

Para finalizar, o epílogo do livro traz recomendações de outras leituras sobre a arte de escrever, de obras nacionais. Nesta parte, o autor também disponibilizou um modelo de estrutura de obra de ficção, que pode ajudar bastante na hora de organizar os eventos da história, antes de começar a escrita, mas que como lembrado: as regras podem ser quebradas. O Sucesso de Escrever é concluído com as referências bibliográficas utilizadas por Albert Paul Dahoui para produzir o livro, recomendações de leitura interessantes, mas a maioria voltada para quem é fluente em inglês.
Perdi a conta de quantos livros sobre escrita eu já li. De todos os livros nacionais dedicados à escrita de ficção, O Sucesso de Escrever foi o que mais me agradou. Até mesmo O Caminho das Pedras, do autor Ryoki Inoue, responsável pela publicação de mais de mil livros, não ficou tão completo e prático como a obra do Albert Paul Dahoui. Há algumas obras, porém dedicadas a cada assunto do universo da escrita, como os livros Guias do Escritor, dos quais eu já li os títulos: Como escrever diálogos, Como narrar uma história e Os Segredos da Criatividade. Existem outros livros bons em português, mas são traduções de autores internacionais. A maioria das obras nacionais se focam mais no estudo e análise literária do que nas técnicas de escrita. Gostei de O Sucesso de Escrever porque se assemelha bastante às obras bem técnicas sobre escrita literária publicadas nos Estados Unidos, como Writing a Novel for Dummies and Getting Published, dos autores George Green e Lizzy Kremer e How To Write a Damn Good Novel, do James N. Frey.

8 comentários:

  1. Ben, excelente resenha. Mas estou com dificuldade de achar o livro nas principais livrarias. Teria alguma dica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Júlio! Muito obrigado pela sua visita e comentário.
      O autor do livro morreu e parece que a editora parou de publicar a obra. Uma opção é procurar nos sebos virtuais. A outra, caso não encontre de nenhum jeito, é procurar a versão em PDF.

      Abraços! Espero ter ajudado.

      Excluir
    2. Obrigado, Ben. Ajudou muito. Vou começar a busca. Abraços!

      Excluir
    3. De livro brasileiro sobre a arte da ficção, este foi o mais completo, com estruturas para organizar o romance ou a história, do início ao fim. Se o seu inglês for bom, vale a pena procurar alguns ebooks ou livros (apesar de não serem fáceis de encontrar no Brasil!).

      O livro segue a mesma linha das obras norte-americanas que ensinam como estruturar a história. Uma outra boa sugestão é o livro A Jornada do Escritor, na qual o autor analisa roteiros de filmes e ensina ao leitor como usar essa estrutura para criar uma história emocionante e comerciável, afinal, é voltado para quem quer se tornar escritor profissional (ganhar dinheiro com a escrita) ou escrever roteiros que sejam aprovados.

      Abraços!

      Excluir
  2. Ben Oliveira, parabéns pela ótima resenha do livro "O Sucesso de Escrever" de Albert Paul Dahoui.

    Poderia, por gentileza, sugerir algum livro específico sobre escrita de não-ficção?

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Osair!
      Fico grato com sua visita e comentários. No momento, não lembro de nenhum de cabeça sobre escrita de não-ficção. Sei que na Amazon tem alguns, porém não saberia dizer se são bons. Acredito que uma das melhores formas de melhorar a escrita de não-ficção seria lendo mais livros no mesmo estilo, gênero e temática.
      Abraços!

      Excluir
  3. Wow... Eu fiz essa capa em 2005, bem como o site do livro, que não existem mais. Depois vou ver se acho algum material dele em meus antigos arquivos. Era uma pessoa muito boa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernando! Muito bacana saber que você esteve envolvido com o projeto. Um livro muito interessante. Um dos melhores nacionais que já li sobre o universo da escrita de ficção.
      Abraços

      Excluir

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram