Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Leituras de Março – 2015

Demorei para postar a minha lista de leituras de março. Estou num ritmo tão frenético, que quase não ando tendo tempo para atualizar o blog com tanta frequência quanto gostaria. Bom, para quem gosta de ficar por dentro do que li / estou lendo, confira abaixo:


A Identidade (Milan Kundera)

Em diálogo: Estudos Literários e Linguísticos (Antônio Rodrigues Belon, Sheila Dias Maciel –organizadores)

Eu, Inabalável  (Josué Matos)

Biografia e Criação Literária Vol. 7 (Giovanni Ricciardi)

A Psicologia e os Desafios da Prática Educativa (Sônia da Cunha Urt e Marly Teixeira Moretinni – organizadoras)

Ripley Debaixo d’Água (Patricia Highsmith)

Felicidade Clandestina (Clarice Lispector)

Alguma Poesia (Carlos Drummond de Andrade)

Para Compreender Saussure (Castelar de Carvalho)

Ler e Compreender: Os Sentidos do Texto (Ingedore Villaça Koch e Vanda Maria Elias)

Teoria da Literatura (Roberto Acízelo de Souza)

Março foi um mês bem equilibrado. Não li demais nem de menos... Também não fiquei preso somente às leituras teóricas. Infelizmente, com tantos livros, artigos e materiais para estudar, não estou conseguindo ler tantos livros de ficção quanto gostaria. De qualquer forma, aprender mais sobre a teoria literária e a linguística só acrescentar na minha formação  como leitor, escritor, blogueiro, acadêmico de Letras.

Também diminuí um pouco o fluxo de publicação de resenhas de livros por aqui. Eu preciso me controlar ou tento fazer tudo ao mesmo tempo. E aí, já sabe... Fadiga mental!

PS: Ainda estou sem meu notebook. Perdi prazos de inscrições em algumas antologias de contos, mas tudo bem. Outro motivo que me atrapalha a publicar mais postagens no blog. Assim que ele voltar, devo normalizar o ritmo.

PS2: Congelei minha leitura de As Quatro Estações, do Stephen King. É um livro que precisa ser lido com mais calma e como já estou recebendo exemplares de parceiros do blog, estou dando prioridade para estes livros. Minha próxima leitura e resenha para o blog deve ser: Para Que Os Vivos e Os Mortos Descansem em Paz, do Danilo Otoch, publicado pela Cultura em Letras Edições.

Bom, é isso! Obrigado a todos que têm acompanhado o blog. Tenho recebido visitas e feedbacks maravilhosos. Também estou tentando fechar novas parcerias com editoras e autores para o Blog do Ben Oliveira. Em breve divulgo mais novidades! Abraços :-)

Comentários

  1. Oi Ben! Quantas leituras! Parabéns pelo blog, conheci a pouco e estou adorando.
    http://coisasdeumleitor.blogspot.com.br/2015/04/tag-livros-nao-lidos.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jonatan! Muito obrigado por sua visita e comentário. Vi que você também tem um blog. Visitarei seu espaço.
      Volte sempre!
      Abraços =)

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana