quarta-feira, 7 de junho de 2017

Mil seguidores no Wattpad: Agradecimento aos leitores de O Círculo

O post do blog de hoje é um agradecimento aos meus leitores do Wattpad! Gratidão pelas leituras, pelos votos e comentários, vocês me incentivam a continuar escrevendo. Neste dia 07 de junho de 2017, o perfil bateu a marca de mil seguidores. Essa plataforma de livros online foi e tem sido muito importante pra mim. Me ajudou a abrir as asas e ver possibilidades, mesmo diante de um mercado tão fechado para autores nacionais.


Nem sei por onde começar. Já publiquei vários posts sobre o Wattpad aqui no blog. Muita gente ainda não entendeu o propósito da plataforma e vê como uma ameaça, mas a ferramenta tem apresentado cada vez mais que veio para somar, especialmente para escritores. Nos últimos anos houve uma queda de vendas de eBooks, porém o Wattpad continua aumentando sua presença a cada ano e os criadores têm planos de expandir. É interessante observar que mesmo consumindo histórias no aplicativo, muitos leitores se dispõem a comprar as versões impressas dos livros, mesmo tendo lido antes na internet.

No momento, O Círculo, o primeiro livro da série Os Bruxos de São Cipriano está em fase de diagramação. O primeiro volume está prestes a alcançar a meta de 55 mil leituras (métrica do Wattpad que soma a leitura de cada capítulo) e O Livro, o segundo volume bateu 12 mil leituras recentemente. Em breve deve sair uma versão física do livro de fantasia com temática de bruxaria, assim como aconteceu com o meu livro de terror Escrita Maldita, publicado inicialmente no formato digital no Kindle Direct Publishing – serviço de publicação de eBooks da Amazon. As plataformas online estão transformando a maneira que os leitores interagem com os autores. 

São os leitores que nos impulsionam, principalmente durante os dias difíceis. Quem é escritor, muitas vezes, tem que usar as madrugadas para escrever e/ou arranjar algum horário ao longo do dia. É gratificante quando você está escrevendo e percebe que ao mesmo tempo alguém está lendo os outros capítulos e acompanhar a evolução da leitura. A vida não para e são poucos que conseguem se dedicar integralmente à escrita no Brasil – é importante ressaltar, pois os leitores que não conhecem nossa realidade, muitas vezes, acham que é má vontade do escritor quando ele não publica histórias e livros novos, quando é por falta de tempo, energia, recursos e apoio. O Wattpad serve como um combustível, uma troca bacana entre autores e leitores. O autor consegue perceber se a escrita está provocando os efeitos esperados, o que pode ser melhorado e com base nas expectativas, também dá para planejar melhor os próximos livros, especialmente se tratam de livros de uma série. A plataforma abre um mundo de possibilidades, pois possibilita entrar em contato direto com os leitores e são eles que vão comprar os seus livros, se algum dia você publicar.

A ideia é manter O Círculo e O Livro no Wattpad. Essa é uma das vantagens de ser autor independente, ter liberdade sobre o que vai fazer com suas obras. Não abri mão de algum dia conseguir uma publicação tradicional com uma boa editora, mas enquanto as portas não se abrem, é importante lembrar que ficar parado não nos leva a lugar algum. Muita gente tem uma visão errada de que se o livro estiver disponível, isso vai matar o interesse do leitor de comprar a versão impressa. Além de ser uma ótima forma de honrar os leitores que ajudaram o autor, não remover o livro do Wattpad pode ser uma maneira de deixar a história continuar circulando e chegando até mais leitores. É preciso lembrar, especialmente se for autor independente, o quanto a distribuição ainda é um problema no Brasil. Nem todo mundo que migra do Wattpad para o KDP no formato de eBook, por exemplo, obtém o mesmo feedback dos leitores, mas é uma questão pessoal e que deve ser analisada caso a caso – assim como acontece do autor que tem mais alcance no KDP e outras plataformas de publicação de eBooks do que no Wattpad. O que funciona para um autor pode não funcionar para o outro, por isso é importante ter consciência e ter planejamento.


Quando você consegue acompanhar as reações dos leitores, dá uma sensação maravilhosa de propósito. É fácil se esquecer das razões que o levaram a se tornar escritor e até mesmo pensar em desistir, diante de inúmeros desafios e ciladas (principalmente se você for autor brasileiro). Às vezes, precisamos dos leitores, de apoios sem segundas intenções, de pessoas que não estão falando as coisas só para tentarem te animar ou por que querem alguma coisa em troca. Quando os leitores se conectam com as histórias, eles são levados a conhecer um pouco de você – deixamos nossas marcas mesmo quando não queremos, a força do subconsciente é muito forte no processo de criação literária. Uma das melhores partes é quando os leitores estão no início do livro e se identificam com diferentes personagens e brincam que é como se eu estivesse escrevendo uma história sobre as vidas deles, por que de certa forma, é um pedaço meu também. É impossível para o escritor se dissociar completamente de suas narrativas, então, sempre espalhamos alguns fragmentos nossos por onde passamos, embora o contrário seja errado, presumir que o autor é o narrador e os personagens da história. Algo bem errado de assumir, ainda mais quando se tratam de personagens anti-heróis e antagonistas, quando muita gente confunde a voz dos personagens com a figura do autor e tenta demonizar sua obra (mas isso é papo para outro dia).

A literatura de fantasia tem esse poder de nos levar a mergulhar em outros universos. Já imaginou como seria sua vida se você pudesse ser quem você realmente queria ser? Será que você seria bruxo, sereia, vampiro, druida, elfo, fada, ogro... Enfim, as possibilidades são infinitas. Durante a leitura podemos ser quem queremos ser e esse poder da ficção é maravilhoso, principalmente durante tempos difíceis. A literatura não serve só como entretenimento, muito menos a ficção contemporânea, como aqueles apegados à literatura clássica pregam e disseminam seus preconceitos literários, mas essa válvula de escape sempre foi e sempre vai ser essencial para o ser humano, precisamos ser capazes de nos desconectarmos dos problemas do cotidiano e sair de nossas peles, para não enlouquecermos. 

Boas histórias ajudam a promover empatia. Mesmo inconscientemente, o leitor se coloca no papel do outro e, de repente, aquilo que lhe parecia muito estranho e diferente, começa a não ser tão estranho assim. O personagem odiado passa a ser adorado, assim como algumas naturezas não mudam e nós mostram a importância da intuição nos relacionamentos. Leitores que não tinham contato com esse universo, ficam surpreendidos como descobrem que os dilemas são parecidos, no final das contas, somos seres humanos e todos temos nossos problemas e queremos a felicidade – por isso a diversidade e representatividade são tão importantes. Bruxos existem, embora muitos acreditam que eles só existem na ficção. Durante minha adolescência, eu queria tanto ler histórias com as quais pudesse me identificar e a bruxaria que eu buscava nos livros de fantasia, era bem diferente da que me era oferecida. Gosto de brincar com as linhas entre a ficção e a realidade em todas minhas narrativas, por isso a proximidade da narrativa com a bruxaria moderna. As histórias não devem ser lidas como fatos reais, tampouco como algo religioso, mas gosto da ideia de que os leitores nunca saibam o que realmente aconteceu e o que é ficcional. Seja no universo da fantasia ou do terror, mistérios acontecem. 

A literatura voltada para o público jovem-adulto tem tocado em questões que muitos livros evitavam e ainda evitam comentar. É um absurdo achar que o silêncio resolve qualquer questão. Trazer consciência para problemas que os jovens de nossa época têm enfrentado é essencial. É preciso lembrar, que nos dias atuais, existem países e escolas que proíbem algumas leituras, assim como existem religiosos que afastam os jovens da leitura e tentam impor suas maneiras deturpadas de pensar, mas estou divagando...

Só queria agradecer a cada leitor, pois acredito que o tempo é algo precioso. Cada vez que você tira um tempo para ler um livro, um capítulo, um texto, enfim, qualquer coisa minha, é um horário que você poderia estar fazendo qualquer outra coisa. Acredito na magia dos livros, da escrita, da leitura. Deixamos nossa energia em tudo o que fazemos. Mesmo livros de terror podem trazer questionamentos. A ficção não tem a proposta de educar, mas quando ela consegue ir além do entretenimento, é delicioso. Questionar por que as coisas são como são, mostrar a importância de se permitir ser você mesmo e as pressões em um período da vida tão conturbado. Ainda que os personagens principais se envolvam com a bruxaria, eles são tão humanos quanto eu ou você e cada um tem suas qualidades e conflitos e precisam fazer suas próprias escolhas. Em tempos sombrios, na vida real ou na ficção, somos responsáveis pelas nossas atitudes e podemos mudar nossas vidas.

O segundo livro está próximo do final e em breve devo fazer uma pausa na série, para poder me dedicar ao próximo livro de terror sobrenatural que estou escrevendo. Ainda não defini se as próximas histórias estarão na plataforma. A série primária será composta por cinco livros no total e confesso que eu mesmo estou ansioso para que o último livro fique pronto logo – vão acontecer tantas coisas com os personagens principais e novos personagens. Que o leitor não se engane, no momento da escrita, também nos emocionamos com os personagens: sofremos, sorrimos, choramos. E é mágico perceber quando durante a leitura, você sente a mesma inquietação. 


Se eu não tivesse compartilhado minhas histórias no Wattpad com vocês, é provável que elas não ganhariam vida tão cedo. O leitor é parte essencial da equação. Parece bobeira como os eventos nos transformam. Encontramos resistência a fazer o que é melhor para nós e quando estamos diante de desafios, deixamos o medo tomar tanto controle, que entramos em pânico e não conseguimos enxergar a luz. Passei por inúmeros processos de transformação interna até soltar o livro inteiro e foi um acidente de carro que catalisou tudo, a ideia de que eu poderia morrer e os leitores ficariam sem saber como O Círculo terminaria, embora já estivesse completo. Às vezes, guardamos o que deveríamos compartilhar com o mundo. A vida é muito curta!

Para quem acompanha e acompanhou as aventuras de Jess, Manu, Babi e Leo, minha gratidão! 

*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e do livro de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1), disponível no Wattpad.

Assista ao último vídeo publicado no canal do Youtube e se inscreva:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram