terça-feira, 30 de agosto de 2016

Resenha: O Último Adeus – Cynthia Hand

O livro O Último Adeus (The Last Time We Say Goodbye), da autora Cynthia Hand, é um romance young-adult (jovem-adulto) que aborda um tema bem delicado: a perda de um familiar próximo por causa de um suicídio e a necessidade de seguir em frente. A obra de ficção, da escritora best-seller do New York Times, foi publicada no Brasil pela editora DarkSide Books, em junho de 2016, com tradução de Carolina Coelho.

Desde o prólogo, o leitor tem acesso a uma das páginas do diário de Alexis Riggs ou Lex, uma adolescente que está no último ano do ensino médio e é aconselhada pelo seu terapeuta a começar a escrever o que ela estava sentindo em seu diário. Algumas perdas são devastadoras para algumas pessoas e com o suicídio de Ty, Alexis e a mãe dela passa por dias cinzentos, marcados por ruminações de tudo o que aconteceu e/ou poderia ter acontecido.

Livro O Último Adeus, Cynthia Hand

Narrado em primeira pessoa por Alexis, logo no primeiro capítulo do romance, a protagonista descreve o sofrimento da mãe dela e as lágrimas que parecem não ter fim. Antes de Ty se matar, ele deixou um bilhete para a mãe escrito: “Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio”. As palavras do garoto ficaram marcadas na mente das duas, junto com a culpa do que elas poderiam ter feito para evitar a morte dele.

“Mamãe está chorando de novo. É como se uma torneira fosse aberta dentro dela em momentos aleatórios. Podemos estar fazendo compras, dirigindo ou assistindo à TV, e quando olho para ela, minha mãe está chorando, como se nem percebesse o que está fazendo – não soluça, não grita, não funga, só as lágrimas descendo pelo rosto dela sem parar” – Cynthia Hand, O Último Adeus

Nas páginas deste romance, acompanhamos a luta de Alexis por tentar colocar sua vida em ordem. Com a tristeza e o luto, a protagonista do livro acaba desenvolvendo um quadro depressivo e se afastando dos amigos, terminando com o namorado, tendo dificuldades com atividades escolares que antes lhe pareciam tão fáceis e embarcando nesta viagem interna, tentando se salvar do vazio que cresce em seu peito.

Livro O Último Adeus, da autora Cynthia HandO desenrolar da trama nos leva cada vez mais ao ápice do sofrimento de Ty e suas relações familiares. Percebemos que o vazio do jovem não foi mero acaso e como somos mais frágeis do que imaginamos. Cynthia Hand retrata com sensibilidade a temática – na nota da autora disponibilizada ao final do livro, encontramos uma informação interessante. Assim como a protagonista de O Último Adeus (The Last Time We Say Goodbye), ela também perdeu seu irmão. No entanto, ela esclarece que a obra é ficcional e que as coisas que acontecem com os personagens do livro não são os fatos da vida dela.

“Nasci com números no cérebro. Penso em equações. O que eu faria, se conseguisse escrever e produzir algo útil, seria pegar minhas lembranças, esses momentos efêmeros e dolorosos da minha vida, e encontrar uma maneira de somá-los, subtraí-los e dividi-los, inserir variáveis e movê-los, tentar isolá-los, descobrir seus sentidos ilusórios, traduzi-los de possibilidades a certezas” – Cynthia Hand, O Último Adeus

Difícil falar de O Último Adeus sem revelar demais. Mais do que uma simples história de superação, o romance nos faz refletir sobre o quão pouco conhecemos sobre as outras pessoas, mesmo as mais próximas de nós e também sobre a necessidade de aceitação das coisas que não podemos mudar. O livro explora as emoções sombrias de Ty, suas tentativas de ficar bem e também como ele e Alexis foram afetados por algumas questões familiares. Quanto mais Alexis mergulha nessas faltas, mais ela percebe que não é a única que precisou passar por isso e que de alguma forma, todos acabam lidando com essas sensações de incompreensão, culpa e desolação. Aos poucos, ela vai tentando reescrever as memórias do irmão e, ao mesmo tempo, reencaixar seus próprios pedaços quebrados e colocar o seu futuro em perspectiva.

Frase do livro O Último Adeus, da autora Cynthia Hand

Ao se colocar na pele de Alexis, esta leitura pode se tornar bem catártica, principalmente nos momentos em que a protagonista, seus familiares e amigos vão se envolvendo com o jogo de revelações. É impossível se tornar indiferente ao romance, pois a autora consegue captar bem a essência não só do universo de quem perde alguém tão jovem… Ela também coloca o dedo na ferida sobre o peso dos laços familiares, das expectativas que criamos sobre o futuro, especialmente em um período de turbulências emocionais que é a adolescência, e de como as coisas estão se transformando o tempo todo e quanto mais tentamos nos apegar ao passado, mais estamos sujeitos ao sofrimento.

“Tenho fases nas quais acho que tudo vai ficar bem e que o céu é azul e tal, quando consigo sentir o sol e o ar entrando e saindo de meus pulmões e penso a vida é boa. Mas então, todas as vezes, também sei, no fundo, que a escuridão está vindo. E não vai parar de vir” – Cynthia Hand, O Último Adeus

Cynthia Hand escreveu um belo livro que pode despertar emoções fortes em alguns leitores, principalmente aqueles que conviveram de perto com alguma situação parecida e/ou como Tyler, que lidam com alguns dias cinzentos e vazios. Acredito que toda leitura pode ser proveitosa, mas que o leitor também precisa levar em conta seu próprio estado de espírito antes de se arriscar mergulhar em águas escuras e desconhecidas. Longe de ser um livro superficial, com um mero artifício de emocionar o leitor – a autora toca em questões que fazem parte da nossa condição humana e nos leva a pensar sobre nós mesmos, nossas diferenças e a reconhecer a necessidade de aceitação e de deixar para trás o que não podemos mudar.

Cynthia Hand, autora do livro O Último Adeus
Para quem gosta dos projetos gráficos diferenciais da editora, o livro traz alguns rabiscos em algumas partes, dando a sensação de que estamos diante do real diário da personagem, que se esforça para colocar no papel a sua confusão de emoções, entre desespero, raiva, fugas e lágrimas.


Sobre a autora 


Cynthia Hand é autora da trilogia Sobrenatural, incluída na lista de best-sellers do New York Times. Nascida no sudeste de Idaho, ela é formada em escrita criativa na Boise State University e na Universidade de Nebraska-Lincoln. Nos últimos sete anos, lecionou redação na Pepperdine University no sul da Califórnia. Ela e a família recentemente se mudaram de volta para Idaho, onde estão curtindo o ar fresco. Saiba mais em cynthiahandbooks.com.

Sobre a tradutora


Carolina Coelho é tradutora e revisora, e na maior parte das vezes, chama o que faz de diversão remunerada. No universo dos livros, também faz leitura crítica, lê a trabalho, mas não deixa de ser um prazer. Pensou que seria arquiteta, mas não levava jeito. Consertou o engano a tempo e decidiu que os livros, companheiros de sempre, eram de fato o seu clube, do qual se tornou sócia (vitalícia) em 2001, ao iniciar o curso de Tradução e Interpretação da Unibero. Fez seu primeiro trabalho para uma editora em 2002 e nunca mais parou. Nem quer. De lá para cá, viveu muitas emoções em mais de cem histórias diferentes. Nas horas vagas, corre para os livros que separa para ler por lazer.

Garanta seu exemplar do livro O Último Adeus (The Last Time We Say Goodbye) pelo link abaixo da Amazon e ajude o Blog do Ben Oliveira a continuar crescendo.


Se você gosta de escutar música enquanto lê, a editora DarkSide Books preparou uma playlist no Spotify inspirada no livro.

Confira também o vídeo sobre o livro O Último Adeus:


E você, já leu O Último Adeus? Ficou com vontade de ler? Comente abaixo!

6 comentários:

  1. Ben,
    Impossível não querer ler o livro depois de ler sua resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jana! Sempre bom te ver por aqui.
      Uauu! Ficou muito feliz em influenciar tua leitura.
      Espero que goste de O Último Adeus ♥

      Excluir
  2. Adoro a forma como vc escreve suas resenhas ^^
    Mas vc não disse o que eu mais queria saber: vc chorou?! Pq eu chorei horrores!!! Estou de ressaca literária desde então :'(

    http://blogmundodetinta.blogspot.com.br/2016/07/especial-mundo-dark-o-ultimo-adeus.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Agatha!
      Chorei na parte da carta. Foi uma das partes que mais me marcaram do livro. Difícil ler O Último Adeus sem se emocionar.
      Gratidão pela visita. Fui ler o livro bem depois da sua resenha. Só depois fui juntar coragem para ler, pois achei que poderia ter algum gatilho.
      Beijos

      Excluir
  3. Eu sou doida para ler esse livro desde o seu lançamento! Imagino o quão destruída e até mesmo culpada a protagonista deve se sentir por não ter reparado a tempo de ajudá-lo a sair dessa. É interessante ainda o fato de vermos o ponto de vista daqueles que ficam, dos que são abandonados, da superação, já que a maioria das obras desse assunto tem como narrador o suicida, a pessoa que está carregando a dor maior. Sua resenha ficou maravilhosa, ressaltou todos os pontos significativos, de forma que fiquei mais ansiosa ainda pra ter o livro em mãos!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!
      Muito obrigado pela visita aqui no blog. Fico feliz que a resenha tenha te tocado. Realmente, o livro acaba se focando mais na importância de seguir em frente, já que narra o ponto de vista de quem ficou e não se foca tanto no que aconteceu antes. Depois que ler O Último Adeus, me conte o que achou. Fico curioso para saber a opinião de outros leitores ;)
      Beijos

      Excluir

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram