Pular para o conteúdo principal

Destaques

Coronavírus e Saúde Pública: O momento não pede negação nem omissão | Ben Oliveira

Me tirar do sério não é fácil. Tenho mais de 8 anos de prática de yoga e uma paciência quase infinita. Mas quando se trata do que tem acontecido nos últimos tempos, impossível seria me silenciar.


Para começar: muitas pessoas religiosas e espiritualizadas acham erradamente que cultivar a não-violência é se silenciar diante do caos que esse DesPresidente tem causado. Não poderiam estar mais errados, afinal, ser omisso à violência é uma forma de aumentá-la.

O momento não pede negação nem omissão. Os brasileiros elegeram um homem sem empatia, que sempre se demonstrou ser frio, manipulador e ignorante.

Sim, ele é um reflexo de muitos que não tiveram acesso à educação ou desprezam a intelectualidade, mas é também alguém que não está colocando só a própria vida em perigo, mas de milhares de brasileiros ao ignorar as recomendações de saúde, protocolos de pesquisas com medicamentos e conhecimentos BÁSICOS de saúde: qualquer pessoa que tenha um conhecimento raso de biologia, química e estatísti…

Lançamento: Uma Breve História dos Zumbis – Eliel Barberino

Os mortos-vivos estão presentes em várias narrativas e continuam despertando o interesse das pessoas. Após a publicação do livro A Era dos Mortos-Vivos, o estudioso da temática, Eliel Barberino aposta em mais uma obra sobre o assunto: Uma Breve História dos Zumbis, lançada pela Mésmer Edições, neste outubro de 2017. Aproveita o clima de Halloween e vem conhecer um pouco mais sobre o lançamento.


Confira a sinopse do livro Uma Breve História dos Zumbis:


Os Zumbis hoje em dia são os queridinhos da mídia. Estrelam não somente filmes, mas games, séries, quadrinhos e estão até mesmo presentes em cursos universitários. O especialista em zumbis Eliel Barberino nos apresenta o monstro como um fenômeno cultural amplo, que abrange não somente o campo da arte ficcional, mas que se estende até à psicologia, à antropologia e mesmo à religião - remetendo necessariamente à mitologia. Nessa obra, as origens dessas criaturas serão buscadas muito além do folclore haitiano e dos filmes de Hollywood. A tese principal do livro é que o zumbi com sua cosmologia do apocalipse é um remanescente dos mitos tradicionais numa sociedade secularizada. O autor num trabalho original e instigante, investiga a História dos mortos-vivos desde a Antiguidade aos dias atuais, tentando entender como esse fenômeno folclórico e psicológico característico das comunidades humanas – nosso medo dos mortos e nossa reflexão sobre nossa extinção – veio desembocar nos mortos-vivos modernos.

Sobre o autor – Eliel Barberino nasceu no Rio de Janeiro em 1983. Estudou Ciências Sociais na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Pesquisador independente e entusiasta, tem se destacado como um dos principais especialistas em Zumbiologia. Publicou em 2016 a obra A Era dos Mortos-Vivos: zumbis, mito, modernidade (Cultura em Letras Edições). O livro é uma análise filosófica do zumbi como fenômeno cultural, que apresenta a questão do Apocalipse zumbi como metáfora das crises do mundo moderno. Eliel Barberino nasceu no Rio de Janeiro em 1983. Estudou Ciências Sociais na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Pesquisador independente e entusiasta, tem se destacado como um dos principais especialistas em Zumbiologia. Publicou em 2016 a obra A Era dos Mortos-Vivos: zumbis, mito, modernidade. O livro é uma análise filosófica do zumbi como fenômeno cultural, que apresenta a questão do Apocalipse zumbi como metáfora das crises do mundo moderno.

Relembre a entrevista publicada aqui no blog: Eliel Barberino, seu livro e zumbis como fenômeno cultural 

O livro pode ser encontrado no site da Mésmer Edições.

Comentários