Pular para o conteúdo principal

Destaques

Um Conto Taiwanês de Duas Cidades: Série de romance e drama explora raízes, sonhos e amores

Uma série de romance e drama sobre duas mulheres conectadas por suas raízes de Taiwan, mas que seguiram caminhos bem diferentes e com personalidades moldadas pelas cidades em que viveram: enquanto uma cresceu em San Francisco, nos Estados Unidos, a outra passou a vida inteira em Taipei. A série A Taiwanese Tale of Two Cities (Um Conto Taiwanês de Duas Cidades, 2018) balanceia os idiomas e experiências culturais dos dois países, criando uma experiência prazerosa para quem deseja visitar ambos destinos turísticos. Essa produção taiwanesa foi um dos achados na Netflix . A mulher que nunca saiu do país, abraça as raízes da medicina chinesa e por causa do seu histórico de saúde frágil abriu mão de muitas coisas fora de sua zona de conforto, Lee Nien-Nien (Tammy Chen) que coincidentemente sonhava em conhecer San Francisco, acaba conhecendo a taiwanesa-americana Josephine Huang (Peggy Tseng), que embora tivesse curiosidades sobre sua origem, passou praticamente a vida toda nos Estados Unidos

Lançamento: Uma Breve História dos Zumbis – Eliel Barberino

Os mortos-vivos estão presentes em várias narrativas e continuam despertando o interesse das pessoas. Após a publicação do livro A Era dos Mortos-Vivos, o estudioso da temática, Eliel Barberino aposta em mais uma obra sobre o assunto: Uma Breve História dos Zumbis, lançada pela Mésmer Edições, neste outubro de 2017. Aproveita o clima de Halloween e vem conhecer um pouco mais sobre o lançamento.


Confira a sinopse do livro Uma Breve História dos Zumbis:


Os Zumbis hoje em dia são os queridinhos da mídia. Estrelam não somente filmes, mas games, séries, quadrinhos e estão até mesmo presentes em cursos universitários. O especialista em zumbis Eliel Barberino nos apresenta o monstro como um fenômeno cultural amplo, que abrange não somente o campo da arte ficcional, mas que se estende até à psicologia, à antropologia e mesmo à religião - remetendo necessariamente à mitologia. Nessa obra, as origens dessas criaturas serão buscadas muito além do folclore haitiano e dos filmes de Hollywood. A tese principal do livro é que o zumbi com sua cosmologia do apocalipse é um remanescente dos mitos tradicionais numa sociedade secularizada. O autor num trabalho original e instigante, investiga a História dos mortos-vivos desde a Antiguidade aos dias atuais, tentando entender como esse fenômeno folclórico e psicológico característico das comunidades humanas – nosso medo dos mortos e nossa reflexão sobre nossa extinção – veio desembocar nos mortos-vivos modernos.

Sobre o autor – Eliel Barberino nasceu no Rio de Janeiro em 1983. Estudou Ciências Sociais na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Pesquisador independente e entusiasta, tem se destacado como um dos principais especialistas em Zumbiologia. Publicou em 2016 a obra A Era dos Mortos-Vivos: zumbis, mito, modernidade (Cultura em Letras Edições). O livro é uma análise filosófica do zumbi como fenômeno cultural, que apresenta a questão do Apocalipse zumbi como metáfora das crises do mundo moderno. Eliel Barberino nasceu no Rio de Janeiro em 1983. Estudou Ciências Sociais na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Pesquisador independente e entusiasta, tem se destacado como um dos principais especialistas em Zumbiologia. Publicou em 2016 a obra A Era dos Mortos-Vivos: zumbis, mito, modernidade. O livro é uma análise filosófica do zumbi como fenômeno cultural, que apresenta a questão do Apocalipse zumbi como metáfora das crises do mundo moderno.

Relembre a entrevista publicada aqui no blog: Eliel Barberino, seu livro e zumbis como fenômeno cultural 

O livro pode ser encontrado no site da Mésmer Edições.

Comentários

Mais lidas da semana