Pular para o conteúdo principal

Destaques

The Puppet Master: Série documental da Netflix traz casos de vítimas de um sociopata vigarista

Para quem está procurando algo intrigante para assistir na Netflix , a série documental The Puppet Master: Hunting the Ultimate Conman apresenta uma daquelas histórias que as pessoas nunca se imaginam acontecendo com elas, até que o pior acontece. Um sociopata manipulador encontra várias presas fáceis, interessado no dinheiro delas, ao mesmo tempo em que conta histórias sem pé nem cabeça para isolá-las dos familiares e dos amigos, em uma jornada marcada pelo medo, fuga e diferentes estratégias de lavagem cerebral. Muitas vezes associada às seitas em uma escala maior, muita gente ainda desconhece os danos que uma pessoa manipuladora pode causar, a ponto de duvidar de si mesmo e da própria sanidade, situação que só piora quando ela é incentiva a cortar todos laços e fica presa num ciclo de total dependência da validação do outro, como se tivesse que pedir permissão até para existir. Quantas pessoas foram vítimas de Robert Hendy-Freegard ? A série documental se foca principalmente em tr

O Demônio do Meio-Dia: Livro sobre depressão ganha nova edição

Um dos livros mais vendidos sobre depressão, em dezembro de 2018, O Demônio do Meio-Dia ganhou uma nova edição pela Companhia das Letras, com tradução de Myriam Campello. A obra escrita pelo jornalista Andrew Solomon traz seu próprio relato de sua experiência com a depressão, assim como de outras pessoas e profissionais de saúde mental.


Encontre o livro O Demônio do Meio-Dia: https://amzn.to/2RxNHxH

Aproveita que neste mês de conscientização sobre saúde mental, Janeiro Branco, O Demônio do Meio-Dia é uma ótima indicação de leitura para autoconhecimento e também para quem deseja entender as diferentes realidades de quem vive com o transtorno mental.

Em novembro de 2018, a editora Companhia das Letras também lançou um livro que reúne ensaios de Andrew Solomon sobre o suicídio: Um Crime da Solidão, com tradução de Berilo Vargas. O assunto um tanto complexo não foi explorado de forma tão profunda como a depressão foi abordada em O Demônio do Meio-Dia, mas acaba sendo um pontapé para abordar a questão que ainda é vista como um tabu.

“Sob vários nomes e disfarces, a depressão é e sempre foi onipresente por motivos bioquímicos e sociais. Este livro se esforça para abarcar a extensão do alcance temporal e geográfico da depressão. Se às vezes parece que a depressão é uma aflição própria da classe média do Ocidente moderno, isso se deve ao fato de que é nessa comunidade que repentinamente estamos ganhando uma nova sofisticação no reconhecimento, nomeação, tratamento e aceitação da depressão – e não porque temos quaisquer direitos especiais sobre a doença em si. Nenhum livro pode abarcar a extensão do sofrimento humano, mas espero que indicar tal extensão ajude a liberar algumas pessoas que sofrem de depressão. Jamais poderemos eliminar toda a infelicidade, e aliviar a depressão não assegura a felicidade, mas espero que o conhecimento contido neste livro ajude a eliminar parte da dor para algumas pessoas” – Andrew Solomon

No prefácio, Andrew Solomon fala um pouco sobre como foi escrever o livro e ressalta que não é médico e que o livro deve ser visto como algo pessoal. “Embora eu ofereça explicações e interpretações de ideias complexas, este livro não pretende substituir o tratamento apropriado”, ressalta.



Confira a sinopse do livro:


Lançado em 2000, O demônio do meio-dia continua sendo uma referência sobre a depressão, para leigos e especialistas. Com rara humanidade, sabedoria e erudição, o premiado autor Andrew Solomon convida o leitor a uma jornada sem precedentes pelos meandros de um dos temas mais espinhosos e complexos de nossos dias. Entremeando o relato de sua própria batalha contra a doença com o depoimento de vítimas da depressão e a opinião de especialistas, Solomon desconstrói mitos, explora questões éticas e morais, descreve as medicações disponíveis, a eficácia de tratamentos alternativos e o impacto que a depressão tem nas várias populações demográficas (sejam crianças, homossexuais ou os habitantes da Groenlândia).

No epílogo inédito escrito exclusivamente para a reedição brasileira, conhecemos o que aconteceu com Solomon, com os entrevistados e com os tratamentos da depressão desde a publicação de O demônio do meio-dia . A inteligência, a curiosidade e a empatia do autor nos permitem conhecer não só as doenças mentais, mas a profundidade da experiência humana. Uma obra monumental.

Sobre o autor – Andrew Solomon nasceu em Nova York, em 1963. Formou-se em inglês e literatura na Universidade Yale e obteve mestrado e doutorado, este na área de psicologia, pela Universidade de Cambridge. É consultor especial de saúde mental LGBT em Yale e professor de psicologia clínica no Columbia University Medical Center. Escritor, ativista e conferencista, é autor, entre outros, De Longe da Árvore, Lugares Distantes e O Demônio do Meio-Dia, que venceu o National Book Award de 2001 e é considerado um dos livros mais importantes da última década pelo jornal The Times.

Conheça também: 

Bile Negra, livro do escritor e psiquiatra Alexandre Loch 

Uma Mente Inquieta: Especialista em Bipolaridade narra sua vida com o transtorno 

Comentários

Mais lidas da semana