Pular para o conteúdo principal

Destaques

Happy Old Year: Filme explora a linha tênue entre o desapego e a nostalgia

O filme tailandês Happy Old Year , de 2019, nos faz pensar sobre as relações que construímos com as coisas que guardamos ao longo da vida. Com direção e roteiro de Nawapol Thamrongrattanarit, a obra está disponível na Netflix. Chutimon Chuengcharoensukying interpreta Jean, uma mulher que deseja fazer um escritório em sua casa, mas se dá conta de que há uma pilha de objetos inutilizados pela casa. Interessada e inspirada pelo minimalismo, se dependesse só dela, ela colocaria tudo em sacos de lixo e jogaria fora, o que ela descreve como buracos negros, porém, à medida que ela coloca o seu plano em ação, Jean percebe que não será tão fácil como imaginava. Com a resistência da família a mudar, Jean encara de frente sua missão, doa em quem doer. O que deveria ser fácil e prático para ela, cuja necessidade é vista até mesmo como egoísmo, acaba se desdobrando em várias situações, fases e etapas conforme ela mergulha nas histórias, memórias e emoções que estão vinculadas aos objetos, especialm

The Haunting of Bly Manor: Série da Netflix adaptará obra do Henry James

Neste dia 21 de fevereiro de 2019, a Netflix anunciou uma novidade boa para quem gostou de A Maldição da Residência Hill (The Haunting of Hill House): a 2ª temporada será chamada The Haunting of Bly Manor e será baseada no livro A Outra Volta do Parafuso (The Turn of the Screw), do Henry James.


Com direção de Mike Flanagan e produção de Trevor Macy, a primeira temporada fez tanto sucesso entre os telespectadores que logo começaram as especulações sobre como seria a 2ª temporada. As informações foram divulgadas pelo site Deadline e confirmadas pelo diretor e pela conta oficial de The Haunting of Hill House no Twitter.

Antes de divulgarem o título da nova temporada, a Netflix divulgou um teaser nas redes sociais. No vídeo dá para ouvir um trecho do livro A Outra Volta do Parafuso: “The terrace and the whole place, the lawn and the garden beyond it, all I could see of the park, were empty with a great emptiness”


“O terraço, todo o terreno, o gramado e o jardim mais adiante, o trecho do parque eu podia ver, estavam vazios, um vazio imenso” – Trecho da tradução de Paulo Henriques Britto para a edição Clássicos da Penguin Companhia das Letras

The Haunting of Bly Manor deve estrear em 2020. Espero que seja um sucesso e que a Netflix aposte em mais adaptações de outros livros de literatura gótica.

Confira a sinopse da edição do livro publicada pela Penguin: 

A outra volta do parafuso conta a história da jovem filha de um pároco que, iniciando-se na carreira de professora, aceita mudar-se para a propriedade de Bly, em Essex, arredores de Londres. Seu patrão é tio e tutor de duas crianças, Flora e Miles, cujos pais morreram na Índia, e deseja que a narradora (que não é nomeada) seja a governanta da casa de Bly. Ao chegar a Essex, a jovem logo percebe que duas aparições, atribuídas a antigos criados já mortos, assombram a casa. O triunfo íntimo da protagonista, mais que desvendar o mistério de Bly, consiste em vencer o silêncio imposto pela diferença de condição social entre ela e seus pequenos alunos. Desde que foi publicada, sucessivas gerações de leitores, críticos e artistas têm se inspirado na maestria narrativa desta novela, cuja tradução de Paulo Henriques Britto reconstitui com precisão a elegante contundência do original inglês.

Sobre o escritor – Nasceu em 1843 na cidade de Nova York, em berço considerado culto. Seu pai, o teólogo e filósofo Henry James Senior, fazia questão de que os filhos recebessem excelente educação. O irmão de Henry, William James, foi um dos precursores da Psicologia moderna. Henry iniciou a vida acadêmica em Harvard, cursando Direito, mas deixou o curso por influência de autores que admirava e em função de sua paixão pela literatura. Tornou-se uma das principais figuras do Realismo na literatura do século XIX, sendo autor de consagrados romances, contos e críticas literárias em língua inglesa.

Sobre o diretor – Mike Flanagan nasceu em Salem, Massachusetts, em 1978. Em 2005, ele se voltou para o gênero do horror pela primeira vez com Oculus, um curta-metragem que serviu de inspiração para o seu filme de 2013 com o mesmo título. Flanagan dirigiu os filmes Hush: A Morte Ouve, Ouija: Origem do Mal, Jogo Perigoso (adaptação do livro do Stephen King), A Maldição da Residência Hill e Doutor Sono (a sequência de O Iluminado).

E aí, ficou curioso para a nova temporada de The Haunting? Já leu A Outra Volta do Parafuso?

Veja também: 5 Livros que influenciaram o escritor canadense de terror Andrew Pyper 

Comentários

Mais lidas da semana