Pular para o conteúdo principal

Destaques

Antraz: Documentário da Netflix revela investigações feitas pelo FBI durante anos

Um pouco após os atentados terroristas contra as torres gêmeas, em Nova Iorque, Estados Unidos, no 11 de setembro de 2001, uma ameaça de antraz colocou as autoridades, como o FBI em alerta, e espalhou pânico nos norte-americanos devido à facilidade de se espalhar sem as pessoas saberem.  Dirigido e roteirizado por Dan Krauss e produzido pela Netflix e pela BBC, 21 anos após o ataque e o primeiro caso de circulação do antraz, o documentário Antraz: EUA Sob Ataque (The Anthrax Attacks) leva o telespectador para as investigações do FBI que duraram anos. O que a princípio foi alvo de muita pressão para a solução do caso, principalmente pelo medo dos norte-americanos do esporo da bactéria continuar se espalhando pelas cartas e fazendo mais pessoas adoecerem e/ou morrerem, logo foi caindo no esquecimento conforme as investigações desenrolavam fora dos holofotes.  Com a proximidade do caso do ataque às torres gêmeas, à primeira vista, o pânico generalizado fez com quem os norte-americanos

The Tinder Swindler: Documentário da Netflix sobre golpista que manipulou mulheres de vários países

The Tinder Swindler (O Golpista do Tinder) é um documentário da Netflix que pode servir para abrir os olhos de quem sempre imagina que algumas situações só podem acontecer com os outros, mas nunca questiona a possibilidade de se ver na mesma situação, como conhecer pessoas manipuladoras e golpistas em aplicativos de encontro. 

Dirigido por Felicity Morris, o documentário se foca nas histórias e questões emocionais das vítimas, mostrando até mesmo alguma das trocas de mensagens em texto, fotos, áudios e vídeos, que por si só dão indicativos do comportamento manipulador, mas para ficar mais esclarecedor para o público leigo, ficaria mais interessante se tivessem entrevistado psicólogos e psiquiatras especialistas em narcisistas e psicopatas com este perfil comportamental, bem como alertar a população sobre como identificar os sinais de alerta, já que os padrões e as dinâmicas são tão personalizados, que mesmo pessoas com um perfil mais seguro caem nesses golpes.

É importante mencionar que divulgar quais táticas são adotadas por manipuladores não tem a intenção de culpar a vítima, especialmente quando isso, muitas vezes, só acontece por uma falha de sistema. No caso do golpista citado na série, ele já havia sido preso justamente por isso e continuou cometendo os mesmos crimes após ser solto, fazendo vítimas em vários países, revelando como o sistema de segurança é tão falho que dá um passe livre para seguir o mesmo modus operandi em outras partes do mundo.

Quem não está íntimo com o mundo da saúde mental, pode até achar que o principal problema relatado no documentário é o do golpe financeiro, porém, quem está familiarizado com técnicas usadas por narcisistas e psicopatas para identificar as vulnerabilidades das vítimas e até mesmo arrancar delas o que desejam, fica bem claro que o golpista tinha uma experiência sólida no que estava fazendo e sabia quais botões emocionais apertar.

Em um nível superficial, fica claro o quanto as vítimas foram machucadas, a ponto de uma delas precisar se internar em uma clínica psiquiátrica, mas não de forma aprofundada o suficiente para mostrar a gravidade do contato próximo com uma pessoa tão disfuncional. Nesta parte, o documentário peca ao não mencionar como uma situação assim pode estar repleta de tanto abuso emocional que pode levar a codependência e a traumas, levando à ansiedade, à depressão e até mesmo ao desenvolvimento de transtorno de estresse pós-traumático.

Além de fazer vítimas com jogos mentais focados em relacionamentos românticos, ele também explorava aquelas interessas em amizades e relações profissionais. A parte chocante do documentário é a descoberta de que mesmo com um trabalho jornalístico revelando esse esquema e com denúncias em policias de vários países, ele permaneceu impune. Somente após o documentário da Netflix, por exemplo, ele foi banido no Twitter.

Uma reviravolta instigante, porém perigosa, é que algumas das vítimas decidiram se vingar, em uma tentativa de recuperar o dinheiro e de tirar a máscara dele. Enquanto o golpista chega a ser preso, ele pega uma pena tão leve que após alguns meses é liberado e as vítimas do golpe continuaram com dívidas.

Documentários assim ajudam a entender um pouco porque tantas vítimas de casos semelhantes nem sempre procuram a polícia ou vão atrás de justiça – embora seja tão criticado, o jornalismo revela sua importância nesses momentos de utilidade pública para alertar outras possíveis vítimas. Seja antes, durante ou depois o contato com alguma pessoa tão manipuladora assim, muitas vezes, o trabalho preventivo de reconhecer as red flags é tão importante e, claro, o apoio psicológico para as vítimas.

Leia também:

Maneiras de Amar: Livro explora como a teoria do apego em adultos influencia relacionamentos românticos 

The Puppet Master: Série documental da Netflix traz casos de vítimas de um sociopata vigarista 

BTK, Meu Pai: Livro de memórias escrito por filha de serial killer narra devastação à saúde mental 

*Ben Oliveira é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Me acompanhe nas redes sociais:

Twitter: https://twitter.com/BenOlivDreamer

Facebook: https://www.facebook.com/BenOliveiraDreamer

Instagram: https://instagram.com/benoliveiradreamer

Comentários

Mais lidas da semana