Pular para o conteúdo principal

Destaques

Dia de Conscientização do Autismo: Data batida por causa do Coronavírus

Hoje foi dia de conscientização do autismo. Com tantas preocupações sobre o Coronavírus, a data acabou passando batida. Mas para quem apoia a causa, além de usar o mês inteiro para abordar o assunto, a vida se torna uma constante aula de aceitação.



Sempre disse que nunca vestiria os símbolos que não concordo, por motivos internacionais, mas como disse minha psicóloga uma vez, não posso ficar comparando a realidade de outro país com a nossa (embora seja quase impossível pra mim).

Embora muitos autistas não gostem do quebra-cabeça e do laço (me incluo entre eles), prefiro o símbolo do infinito da Neurodiversidade, cheguei a conclusão que é só um estresse a mais e não adianta explicar para as pessoas.

Tal qual a palavra autista foi ressignificada, talvez seja melhor ressignificar do que ficar dando murro na ponta da faca (acertei a expressão?).

Enfim, só para não passar batido, foto com a camiseta que minha mãe pegou para mim em um evento de autismo em Campo Grande (MS).

Quando ganhei, p…

Documentário sobre o escritor Franz Kafka e sua vida marcada por fragilidades

Adoro assistir documentários sobre escritores. Não pude deixar de me emocionar com o documentário sobre a vida do escritor tcheco Franz Kafka. Depois de ter lido A Metamorfose e um ensaio sobre Kafka no livro A Consciência das Palavras, do Elias Canetti, me encantei com este filme dirigido por Richard Dindo, no qual atores foram convidados a lerem trechos dos diários e cartas do escritor e pessoas que melhor o conheciam, alguns dos quais eu já tinha lido, mas vê-los interpretados proporcionaram uma dose de catarse inesquecível.

Acompanhar a história de Franz Kafka e até mesmo me identificar com alguns pontos, me provocaram uma sensação triste e libertadora ao mesmo tempo. Aliás, ver a aflição que outros escritores passaram, por mais egoísta que possa parecer ficar um pouco alegre com os seus sofrimentos, me dá a sensação de que não sou, não fui e nunca serei o único a passar por alguns desses apertos e me faz me sentir menos solitário, dentro dos limites que o ofício do escritor me permite ser.

Voltando ao documentário sobre Kafka, entre as histórias abordadas da vida do escritor estão: o seu relacionamento com Max Brod e Gustav Janouch; o amor que ele sentia por Felice, ao mesmo tempo em que sentia o temor do relacionamento atrapalhar a sua escrita; o relacionamento com a escritora Milena, a qual entendia Kafka e reconhecia sua inabilidade de ter uma vida normal e o seu namoro com Dora.

Nas obras do escritor Franz Kafka, em seu diário e cartas é possível encontrar sua essência: como ele se sentia pequeno e frágil (como um inseto) diante de seus pais e da vida; como ele se sentia um estranho dentro de sua casa, incompreendido pela mãe e com ódio do pai, que o faziam se sentir dependente; a maneira que ele enxergava a vida e sentia vontade de nunca ter nascido, em contradição com o seu desejo por viver e escrever suas histórias, mesmo diante da tuberculose e de saber que era quebrado e jamais poderia se entregar totalmente aos seus amores, pois aquilo significaria abrir mão de sua criação literária; seu processo de escrita que acontecia durante a noite, quando sofria com as insônias.

O documentário Quem Foi Kakfa? (Wer War Kafka) foi produzido em 2006, com direção e roteiro de Richard Dindo. O filme traz algumas imagens da época em que Kafka viveu em Praga. O mais interessante do roteiro é saber que mesmo não sendo atores interpretando as pessoas com quem Franz Kafka convivia, todo o texto é baseado em fatos reais, em seus diários, cartas e romances. O vídeo tem 1h e 36 minutos, com áudio em alemão e com legendas em português.

Assista ao documentário sobre o escritor Franz Kafka (Quem Foi Kafka?): 


Se você, assim como eu, também gosta de documentários sobre a vida de escritores, não pode deixar de conferir esses: 

Documentário: Marcel Proust – Uma Vida de Escritor

Documentário sobre Edgar Allan Poe – Contos de Terror

Documentário Paulo Coelho: O Alquimista das Palavras

Se você gostou, não deixe de comentar e compartilhar! Em breve, vou fazer mais posts sobre documentários e filmes sobre escritores... Afinal, a internet está cheia de conteúdos interessantes sobre literatura, basta saber procurar! ;-) 

Comentários

  1. Oi, Ben! Vi tua publicação no Grupo do Face (Blogueiros Literários Dot Com). Estou começando essa vida agorinha mesmo, hehe.
    Achei uma coincidência boa: Comecei a resenhar livros que li esse ano, e o primeiro foi O Processo. É, de longe, um dos livros mais tristes e profundos que eu li. Sou fãzíssima de Kafka e vou, COM CERTEZA, assistir ao documentário, aprender mais sobre ele.
    O post está muito bom, faz o que eu penso que deve fazer uma resenha/artigo sobre esse tipo de produção: Desperta na gente a vontade de ler.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anna! Seja bem-vinda!
      Fico muito feliz que tenha gostado da sugestão do documentário. Estou muito curioso para ler os outros livros do Kafka (até o momento só li A Metamorfose) e um ensaio com cartas e diários sobre a vida dele (bem parecido com o documentário!).
      Obrigado pela visita e comentário! Volte sempre!

      Excluir
  2. Lindo e oportuno trabalho, Bem. Não li ainda, mas já tenho na minha estante o A METAMORFOSE. Com esse documentário senti despertar o desejo de ler, não so esse, mas os demais.

    Obrigada, pelo trabalho tao bonito.

    Suceso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Theya! Muito obrigado pela sua visita e comentário! Leia A metamorfose, garanto que não vai se arrepender. O mais bacana de conhecer a vida dos escritores é entender o que os inspiraram a escrever. No final, a metamorfose acaba sendo uma história sobre a própria transformação do autor, de como ele se sentia pequeno diante da família e dos outros, um inseto, literalmente, prestes a ser esmagado a qualquer minuto.

      Abraços e volte sempre! Sucesso a todos nós!

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!