Pular para o conteúdo principal

Destaques

The Good Detective: Série coreana policial sobre antigo caso e a busca pela verdade

The Good Detective é uma série coreana policial que aborda um caso antigo, cujo julgamento levou à sentença de condenação de morte do acusado. Um detetive novato no departamento e um veterano se juntam para descobrir se aconteceram falhas nas investigações policiais. A série está disponível na Netflix . Com 16 episódios em sua primeira temporada, três personagens se destacam: o detetive que participou da investigação do caso, Kang Do Chang (Son Hyeon-ju) , o jovem detetive Oh Ji Hyuk (Seung-jo Jang) e a jornalista investigativa Jin Seo Kyung (Elliya Le) . Quando um novo caso de um suposto assassino confesso da filha do homem condenado ganha a atenção da mídia, muitas dúvidas pairam no ar sobre as motivações e os possíveis envolvidos, fazendo com que os detetives discretamente se aprofundassem nas investigações, mesmo sabendo que poderiam prejudicar as próprias carreiras. Kang é movido pela consciência pesada de ter sido parte do caso do condenado possivelmente inocente sofrer pena de

Gloria Allred: Documentário da Netflix traça história de vida e causas defendidas por advogada feminista

Mesmo morando no Brasil, ainda que você não conheça a fundo, se acompanha notícias envolvendo julgamentos de famosos dos Estados Unidos, é bem provável que já tenha ouvido falar nela: Gloria Allred. O documentário Seeing Allred foi dirigido por Roberta Grossman e Sophie Sartain, lançado em 2018 pela Netflix e traz um retrato biográfico da advogada norte-americana e um pouco do seu histórico na luta pela proteção dos direitos das mulheres

Quem vê discussões atuais sobre machismo, racismo, homofobia, entre outras questões, sabe que ainda causa polêmica e resistência entre conservadores, agora imagina falar abertamente na mídia sobre o assunto e defender causas assim na justiça há décadas? Por meio de arquivos históricos, o documentário revela a coragem da advogada Gloria Allred e seu papel na causa feminista dos Estados Unidos em diferentes períodos.

Como a imagem da advogada feminista está vinculada aos assuntos que defendeu, a filha dela também advogada, Lisa Bloom contou que muitas pessoas naquela época viam sua mãe como alguém extremista. Para quem nasceu nos dias atuais, no Brasil, não faz ideia de como a segregação racial e casamento inter-racial eram uma realidade norte-americana, tampouco se dá conta de outras questões, como o direito das mulheres ao voto e as sucessivas lutas por uma sociedade mais igualitária, inclusiva e justa. 

Questionada se existe alguma motivação pessoal pelo seu trabalho, além de comentar sobre o seu interesse e estudos após a graduação, Gloria Allred revelou que sofreu abuso sexual e teve que fazer um aborto clandestino – o que quase levou à sua morte. Logo, muitas clientes se sentem compreendidas por ela, sendo um dos motivos pelo qual a procuram: não só por motivações financeiras, como muitos alegam.

Embora ao longo dos anos ela tenha se envolvido em inúmeras polêmicas e ganhado milhões de dólares, o documentário se foca no lado humano e quanto mais camadas são reveladas, mais fica fácil entender porque muitos norte-americanos a odeiam: muitos se incomodam com o apoio de Gloria Allred ao casamento gay (conversão da união estável homoafetiva em casamento), na exposição e defesa de vítimas de abusadores conhecidos pelo público. Ao se declarar a favor de algumas causas sociais, instantaneamente ela passa a ser vista como inimiga por causa da polarização.

“Gays, lésbicas e transgêneros merecem direitos iguais. E as mulheres merecem o direito constitucional de escolher aborto seguro, acessível, legal e disponível” – Gloria Allred

Embora não tenha sido premiado, o documentário Seeing Allred foi e é um sopro de esperança para os tempos sombrios. Uma advogada com coragem de encarar Donald Trump certamente merece respeito. Sua luta contra o comportamento sexual predatório, contra a violência contra mulher e direitos igualitários tornam sua carreira memorável. 

Ex-advogada de uma das mulheres que alegaram ter sido vítimas de Donald Trump, Gloria Allred representou vítimas do ator norte-americano Bill Cosby, do bilionário Jeffrey Epstein,  do cantor R. Kelly, do produtor de cinema Harvey Weinstein, do ator Charlie Sheen, do jogador profissional de golf Tiger Woods e até mesmo representou a família de Nicole Brown no caso contra O. J. Simpson.

Além desses casos que chamaram a atenção da mídia, sendo um dos mais recentes o da suposta vítima do ator Armie Hammer, Gloria Allred declarou que 90% dos casos que representa não viram manchetes nos jornais. Para ficar por dentro das novidades da advogada, acesse o site: https://www.gloriaallred.com/ 

Leia também: 

El Inocente: Thriller explosivo de vingança é adaptação espanhola de livro do Harlan Coben 

Resenha: Adeus, Promessas – Kristin Halbrook 

*Ben Oliveira é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

Mais lidas da semana