Pular para o conteúdo principal

Destaques

Antraz: Documentário da Netflix revela investigações feitas pelo FBI durante anos

Um pouco após os atentados terroristas contra as torres gêmeas, em Nova Iorque, Estados Unidos, no 11 de setembro de 2001, uma ameaça de antraz colocou as autoridades, como o FBI em alerta, e espalhou pânico nos norte-americanos devido à facilidade de se espalhar sem as pessoas saberem.  Dirigido e roteirizado por Dan Krauss e produzido pela Netflix e pela BBC, 21 anos após o ataque e o primeiro caso de circulação do antraz, o documentário Antraz: EUA Sob Ataque (The Anthrax Attacks) leva o telespectador para as investigações do FBI que duraram anos. O que a princípio foi alvo de muita pressão para a solução do caso, principalmente pelo medo dos norte-americanos do esporo da bactéria continuar se espalhando pelas cartas e fazendo mais pessoas adoecerem e/ou morrerem, logo foi caindo no esquecimento conforme as investigações desenrolavam fora dos holofotes.  Com a proximidade do caso do ataque às torres gêmeas, à primeira vista, o pânico generalizado fez com quem os norte-americanos

Observatório da Imprensa e a análise da mídia brasileira

Surgido na internet em abril de 1996, o Observatório da Imprensa é um veículo jornalístico focado na crítica da mídia que apresenta regularmente artigos para discussão e reflexão sobre os meios de comunicação de massa, o papel dos jornalistas, a ética jornalística, a repercussão sobre a cobertura de reportagens produzidas pelos principais jornais do mundo.


Além da sua versão online, desde maio de 1998, o Observatório da Imprensa começou a ser transmitido na televisão. O programa é produzido pela TVE do Rio de Janeiro e TV Cultura de São Paulo, transmitido semanalmente pela Rede Pública de Televisão e disponível no Youtube para reprodução.

O meio radiofônico também é ambiente do Observatório da Imprensa. Desde maio de 2005, o programa de rádio é transmitido pela rádio Cultura FM de São Paulo, rádios MEC AM e FM do Rio de Janeiro e rádios Nacional AM e FM de Brasília.

A ideia de criar o Observatório da Imprensa surgiu de um projeto do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo, da Universidade Estadual de Campinas, uma iniciativa do Projor – Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo.

Com o propósito de analisar o desempenho da mídia brasileira, o Observatório possibilita a interação com o público e verificar a opinião de profissionais, jornalistas, pesquisadores e estudiosos. Acreditando na importância do produto jornalístico na prestação de serviço público com seus deveres e responsabilidades sociais, o Observatório da Imprensa critica os veículos de comunicação que não atendem às demandas da população e cidadania, se preocupando somente com os interesses das empresas privadas.

O Projor é mantenedor do Observatório da Imprensa e é uma organização social sem fins lucrativos que realiza atividades de formação, treinamento, reciclagem e consultoria nos campos profissional e empresarial.

A equipe do Observatório da Imprensa é formada pelos jornalistas Alberto Dines, Diretor Editorial; Carlos Eduardos Lins da Silva, Presidente do Projor; Caio Túlio Costa, Diretor de Operações do Projor; Luiz Egypto, Redator-Chefe do Observatório da Imprensa e Eugênio Bucci, Diretor do Projor.

*Com informações do Observatório da Imprensa / Projor

Comentários

Mais lidas da semana