Pular para o conteúdo principal

Destaques

Coronavírus e Saúde Pública: O momento não pede negação nem omissão | Ben Oliveira

Me tirar do sério não é fácil. Tenho mais de 8 anos de prática de yoga e uma paciência quase infinita. Mas quando se trata do que tem acontecido nos últimos tempos, impossível seria me silenciar.


Para começar: muitas pessoas religiosas e espiritualizadas acham erradamente que cultivar a não-violência é se silenciar diante do caos que esse DesPresidente tem causado. Não poderiam estar mais errados, afinal, ser omisso à violência é uma forma de aumentá-la.

O momento não pede negação nem omissão. Os brasileiros elegeram um homem sem empatia, que sempre se demonstrou ser frio, manipulador e ignorante.

Sim, ele é um reflexo de muitos que não tiveram acesso à educação ou desprezam a intelectualidade, mas é também alguém que não está colocando só a própria vida em perigo, mas de milhares de brasileiros ao ignorar as recomendações de saúde, protocolos de pesquisas com medicamentos e conhecimentos BÁSICOS de saúde: qualquer pessoa que tenha um conhecimento raso de biologia, química e estatísti…

Leituras de Junho – 2015

Depois de dois meses de fadiga mental de tanto material que eu tinha para estudar e, literalmente, quase desmaiar... Junho foi um mês mais calmo e tive tempo para compensar a falta que estava sentindo de me jogar na leitura. Foram 17 livros lidos. Confira abaixo a lista de leituras de junho:


Tudo Está no Éter: Independe do que você pensa, aceita ou quer (José Augusto Lopes Sobrinho)

O Demônio da Teoria: Literatura e Senso Comum (Antoine Compagnon)

Coisas Bem Legais Para Ser Muito Feliz (Mr. Wonderful)

Os Devaneios do Caminhante Solitário (Jean-Jacques Rousseau)

Fábulas (Esopo)

Discurso e (Des)Igualdade Social  (Glaucia Proença Lara e Rita Pacheco Limberti)

Triângulo das Águas (Caio Fernando Abreu)

Simplesmente Acontece  (Cecelia Ahern)

Adultérios (Woody Allen)

Fragmentos (Caio Fernando Abreu)

Contos da Realidade (P. J. Cardoso)

Theus: Do fogo à busca de si mesmo (Fabrício Viana)

Quatro Estações (Stephen King)

A Autoestrada (Stephen King)

Natasha (Flavia Andrade)

Fingidores (Rodrigo Rosp)

Monstros Fora do Armário (Flavio Torres)  

Muitos dos livros lidos não foram resenhados para o blog: dos 17, somente 4 foram resenhados... Quem sabe futuramente eu releia alguns deles e preparar algo ou, pelo menos, recomendo as obras em listas literárias. Destaque para Natasha que foi escrito pela minha colega de sala, a escritora Flavia Andrade. Fizemos uma troca de livros... Ela ficou com um exemplar do livro Remetente N.15.

Comentários