Pular para o conteúdo principal

Destaques

Para Toda a Eternidade: Livro explora rituais funerários diversos

Entre a naturalidade e o espanto, o tradicional e o moderno, o ocidental e o oriental, Caitlin Doughty transmite ao leitor histórias de suas visitas a espaços e profissionais envolvidos com o universo mortuário. Uma das obras pedidas por quem já tinha lido Confissões do Crematório, o novo livro foi publicado no Brasil pela editora DarkSide Books, em junho de 2019, com tradução de Regiane Winarski e ilustrações de Landis Blair.


Compre o livro Para Toda a Eternidade (Caitlin Doughty): https://amzn.to/2R2FwqN

“Eu passei a acreditar que os méritos de um costume relacionados à morte não são baseados em matemática [...] mas em emoções, numa crença na nobreza única da própria cultura da pessoa. Isso quer dizer que consideramos os rituais de morte selvagens apenas quando eles não são como os nossos” – Caitlin Doughty, Para Toda a Eternidade
Dá para ler tranquilamente Para Toda a Eternidade sem ter lido Confissões do Crematório, mas acredito que as duas leituras são complementares. Enquanto na p…

7 Ilustrações de Edgar Allan Poe e seus contos feitas pelo artista Aubrey Beardsley

É interessante observar como diferentes artistas ilustraram a obra de Edgar Allan Poe e captaram seu universo sombrio. O ilustrador e autor inglês Aubrey Beardsley teve uma vida bem breve e uma carreira bem curta de apenas sete anos, mas que acabou deixando sua marca. O artista era fissurado pelo grotesco e dá para perceber como sua produção artística se encaixa muito bem como a aura do Poe.

Aubrey Beardsley morreu em 1898, aos 25 anos idade de tuberculose, doença que ele contraiu quando tinha sete anos – o que, sem dúvidas, influenciou o seu estilo, que também era marcado pela decadência e erotismo. Enquanto Edgar Allan Poe morreu em 1849, aos 40 anos por motivos ainda incertos, entre eles estava a hipótese de tuberculose também.

“Eu vejo tudo de uma maneira grotesca. Quando eu vou ao teatro, por exemplo, as coisas se moldam diante de meus olhos, assim como eu as desenho – as pessoas no palco, os faróis, os rostos estranhos e o trajes da platéia nas caixas e barracas. Todos parecem esquisitos e estranhos para mim. As coisas sempre me impressionaram dessa maneira” – Aubrey Beardsley

Dos cinco artistas cujas ilustrações inspiradas na produção literária de Edgar Allan Poe são de importância histórica, três deles foram compartilhados aqui no blog. São autores de obras artísticas que caíram em domínio público: Édouard Manet, Harry Clarke e Aubrey Beardsley.

“Para que um retrato é bom, a menos que mostre apenas como o sujeito foi visto pelo pintor? Nos velhos tempos antes da fotografia, uma pessoa tinha o direito perfeito de dizer ao artista: “Pinte-me assim como eu sou”. Agora, se ele deseja fidelidade absoluta, ele pode ir ao fotógrafo e obtê-la” – Aubrey Beardsley

Ele foi o primeiro editor de arte do jornal literário The Yellow Book, publicado em Londres de 1894 e 1897. Aubrey Beardsley também foi um dos representantes do movimento artístico, Esteticismo.

Além do retrato de Edgar Allan Poe, Aubrey também ilustrou O Gato Preto, A Queda da Casa de Usher, Os Assassinatos da Rua Morgue e A Máscara da Morte Rubra.

Confira 7 ilustrações de Aubrey Beardsley inspiradas na obra literária de Edgar Allan Poe:









*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e do livro de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1), disponível no Wattpad.

Comentários

Mais lidas da semana