Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: O dever de combater o charlatanismo como autista, escritor e jornalista

Admiro artistas que se posicionam. Admiro pessoas que não ficam em silêncio quando vêem coisas erradas acontecendo. Neste mês, aproveitando o embalo da conscientização, estou fazendo campanha contra o charlatanismo e tratamentos falsos de autismo (Mais de 8).


Compre o livro Autismo: Guia Essencial para Compreensão e Tratamento, dos autores Fred R. Volkmar e Lisa A. Wiesner: https://amzn.to/2IwNmHo

Mesmo sem muito apoio, sigo em frente. E ao mesmo tempo, colegas estão fazendo campanha para acabar com o MMS no Brasil – um produto corrosivo e proibido que muitos pais de autistas usam neles achando que vão curá-los e pode matar.

Eu poderia ficar omisso, afinal, sou Asperger com Altas Habilidades, tive diagnóstico só aos 29 anos e sei como me camuflar – do espectro autista inteiro, faço parte daqueles que estão mais próximos do que é ser um neurotípico (não-autista) aos olhos de quem não entende do assunto e dizem frases como 'não parece autista', mas me nego a ficar calado vendo ta…

Pediatras recomendam que pais leiam livros para bebês e crianças

A leitura de livros é recomendada desde os primeiros anos de vida. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, os pais devem ler para as crianças, tanto para desenvolver a afetividade quanto para estímulo cerebral.


Compre livros infantis: https://amzn.to/2T36xL7

Em entrevista ao Portal Clickbebê, a neuropediatra Liubiana Arantes Araújo comentou que nessa fase da vida é importante estimular as crianças através da leitura e mostrar como uma atividade prazerosa, ajudando com o desenvolvimento do cérebro e facilitando o aprendizado.

Assista ao vídeo:



"Receitar livros" é uma prática recomendada pela Academia Norte-Americana de Pediatras e pela Sociedade Brasileira de Pediatras. No Brasil, a prática conta com o apoio do Itaú Social que tem um projeto de incentivo à leitura para a criança e já distribuiu mais de 51 milhões de livros impressos, entre eles milhares de obras em braile e com fonte expandida para pessoas com deficiência visual.

De acordo com informações da Sociedade Brasileira de Pediatria, durante os primeiros anos de vida há uma proliferação de sinapses muito grande e aproveitar essas janelas de oportunidades para a estimulação e desenvolvimento do cérebro pode contribuir para a melhor qualidade de saúde.

Segundo um artigo publicado em 2008 na Arch Dis Child, pelos autores E Duursma, M Augustyn e B Zuckerman, a leitura em voz alta para crianças ajuda no desenvolvimento da linguagem e habilidades que podem ajudar futuramente no desenvolvimento do sucesso na hora de ler e escrever.

Além de estimular a interação verbal, com um melhor aprendizado do vocabulário, os pesquisadores relataram que quanto mais cedo o desenvolvimento da linguagem, mais efeitos positivos nos primeiros anos escolares.

Outros benefícios da leitura para e com as crianças: desenvolvimento da autoestima, atenção conjunta, conhecimentos sobre narrativas e contato com a literatura (desenvolvimento da escuta e da oralidade, desenvolvimento da imaginação e capacidade criativa e construção de sentido).

O hábito da leitura na infância está relacionada às classes sociais. As associações de pediatras recomendam que os pais leiam para que seus filhos não tenham tantas dificuldades na alfabetização, ajudando a reduzir a disparidade acadêmica. Além da leitura, a conversa e o canto também são considerados importantes para o desenvolvimento infantil.

De acordo com a Academia Norte-Americana de Pediatria, é importante que os pais leiam com emoção, prestando atenção na voz e nas expressões faciais. Os médicos sugerem o planejamento de um tempo para leitura diariamente, fazendo perguntas e falando sobre sentimentos, mesmo quando a criança já pode ler. Segundo os profissionais, a construção de hábitos saudáveis podem ter benefícios duradouros.

No Brasil, uma pesquisa mostrou que além de fazer bem para as crianças, os pais que leem para crianças também tiveram maior estimulação cognitiva e maior quantidade e qualidade de interações de leitura do que os que não liam.

Apesar dos conhecimentos dos benefícios da leitura em estudos comportamentais para desenvolvimento da linguagem oral e da leitura, um estudo publicado no jornal da Academia Norte-Americana de Pediatria, em 2015, procurou investigar os efeitos no cérebro. A pesquisa feita com crianças de 3 a 5 anos de idade com utilização de neuroimagem confirmou a hipótese de que a estimulação por meio da leitura ativa circuitos neurais de compreensão de narrativas do lado esquerdo do cérebro, o qual facilita imagens mentais e extração de significado (processamento semântico).

Em um país em que a leitura é desvalorizada por muitos adultos, o desafio de estimulação desde a infância é maior, o que nos lembra da importância do investimento em educação, em bibliotecas e livrarias (levando em conta que existem cidades que os moradores não têm acesso aos livros), eventos de contação de histórias e atividades culturais, para que mais crianças tenham contato com os livros.

Leia também:

Bibliotecas e o amor do escritor Neil Gaiman pelos livros

Infográfico: Ler livros é uma das atividades mais relaxantes, segundo pesquisa

Livro sobre literatura infantil explora a arte de escrever histórias

Infográfico: 5 Benefícios da Leitura Comprovados em Pesquisas

A Leitura e os Benefícios para a Mente

5 Maneiras Pelas Quais Manter Um Diário de Leitura Vai Mudar Sua Vida

*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

Mais lidas da semana