Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Vídeo: Literatura LGBT e a Editora Orgástica

O psicólogo, escritor e editor Fabrício Viana foi entrevistado pela psicóloga e sexóloga Rose Villela, no programa Prazer em conhecer, sexo na web, do TV UOL, com o tema Literatura LGBT. Durante o bate-papo, o autor falou sobre a Editora Orgástica e suas publicações.

Confira o vídeo: Liberatura LGBT e a Editora Orgástica


Para quem ficou interessado, aqui no Blog rolou uma entrevista com o Fabrício Viana e resenhas dos livros: O Armário, Orgias Literárias da Tribo, Ursos Perversos e Bem-Te-Vi.

Comentários

  1. Respostas
    1. De nada! Gosto de dar minha contribuição para a literatura lgbt, nem que seja ajudando a divulgá-la.

      Abraços!

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana