Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Leituras de Dezembro – 2015

Demorei um pouco para soltar a lista de leituras de dezembro, pois estava viajando e me dei alguns dias de férias. Para quem ficou curioso para saber o que li neste fim de ano e se lembra da minha lista de expectativas de leituras, bom, não consegui ler metade do que havia previsto! Grande parte dos livros que iria ler ficou para janeiro e fevereiro de 2016. Confira abaixo:


A Menina Submersa (Caitlín R. Kiernan)

Contos dos Deuses (Cultura em Letras Edições)

Uma Cama Quebrada (Roberto Muniz Dias)

Se Eu Ficar (Gayle Forman)

Edgar Allan Poe: O Mago do Terror (Jeanette Rozsas)

O Estranho Contato (Kelly Shimohiro)

Branca de Neve e os Sete Zumbis (Fábio Yabu)

Entre as leituras de livros de ficção nacional previstas para janeiro estão: Olho Grego (Paulo Sérgio Moraes), O Pingente de Sangue: As Lendas do Oriente (Leonardo Ottonelli), Dias Nublados (Dany Fran) e Implacável Sedução, Inexorável Solidão (Christian Petrizi).

Minha primeira leitura de 2016 foi Onde Cantam os Pássaros (Evie Wild) e a segunda está sendo O Presente do Meu Grande Amor (Stephanie Perkins org.). Comecei a ler Never Let Me Go (Kazuo Ishiguro) em dezembro, mas acabei deixando para este ano. Assim que tiver mais novidades, compartilho aqui no blog!

Muito obrigado a todos que continuam acessando o blog, comentando e compartilhando. Faz toda diferença, acredite! ;-)

Curta a página do blog: https://www.facebook.com/BlogDoBenOliveira/

Comentários

Mais lidas da semana