Pular para o conteúdo principal

Destaques

Pós-Verdade: Quando Jornalismo, Propaganda Política e Cinismo se Confundem no Brasil

Estamos em 2021. Em teoria, com tanto volume de informação disponível, brasileiros e pessoas de diferentes países teriam mais condições de entenderem sobre manipulação política . Porém, o  sistema político da Pós-Verdade tem revelado o quanto a democracia pode ser frágil quando as mentiras reforçadas constantemente por figuras políticas ganham destaque midiático. Em um jogo de inversão, quem mente, acusa o outro de fake news e muitos perdem o referencial de credibilidade, sem saber distinguir o que é jornalismo, propaganda política ou cinismo. Muita gente poderia achar que o que tem acontecido nos últimos anos é um mero acaso, assim como milhares de brasileiros tentam minimizar o impacto das falas de Jair Bolsonaro, chamando-o de louco e mentiroso patológico – tirando de jogo a intencionalidade da questão de manipulação política por trás de suas estratégias de governar.  Embora tente passar imagem de originalidade, nada do que ele faz é novidade no resto do mundo: talvez exceto pelo

Leituras de Dezembro – 2015

Demorei um pouco para soltar a lista de leituras de dezembro, pois estava viajando e me dei alguns dias de férias. Para quem ficou curioso para saber o que li neste fim de ano e se lembra da minha lista de expectativas de leituras, bom, não consegui ler metade do que havia previsto! Grande parte dos livros que iria ler ficou para janeiro e fevereiro de 2016. Confira abaixo:


A Menina Submersa (Caitlín R. Kiernan)

Contos dos Deuses (Cultura em Letras Edições)

Uma Cama Quebrada (Roberto Muniz Dias)

Se Eu Ficar (Gayle Forman)

Edgar Allan Poe: O Mago do Terror (Jeanette Rozsas)

O Estranho Contato (Kelly Shimohiro)

Branca de Neve e os Sete Zumbis (Fábio Yabu)

Entre as leituras de livros de ficção nacional previstas para janeiro estão: Olho Grego (Paulo Sérgio Moraes), O Pingente de Sangue: As Lendas do Oriente (Leonardo Ottonelli), Dias Nublados (Dany Fran) e Implacável Sedução, Inexorável Solidão (Christian Petrizi).

Minha primeira leitura de 2016 foi Onde Cantam os Pássaros (Evie Wild) e a segunda está sendo O Presente do Meu Grande Amor (Stephanie Perkins org.). Comecei a ler Never Let Me Go (Kazuo Ishiguro) em dezembro, mas acabei deixando para este ano. Assim que tiver mais novidades, compartilho aqui no blog!

Muito obrigado a todos que continuam acessando o blog, comentando e compartilhando. Faz toda diferença, acredite! ;-)

Curta a página do blog: https://www.facebook.com/BlogDoBenOliveira/

Comentários

Mais lidas da semana