quarta-feira, 15 de março de 2017

Vídeo: Folheando o livro Edgar Allan Poe: Medo Clássico (DarkSide Books)

Edgar Allan Poe pode ter morrido miserável, mas após sua morte, suas histórias continuam sendo contadas, recontadas e serviram de inspiração para milhares de escritores da temática de horror, ficção científica e literatura policial.


Edgar Allan Poe: Medo Clássico traz o primeiro volume de textos literários escritos por Poe. A editora DarkSide Books têm investido na publicação de clássicos da literatura e o resultado tem agradado tem agradado aos leitores aficionados pela temática sombria e os mistérios da alma. Prova disso é que a obra de Poe e a obra de Mary Shelley, Frankenstein, entraram para a lista dos lançamentos de livros mais vendidos de 2017.



Pensando nos apaixonados por literatura que nem sempre tem a oportunidade de entrar em contato com os lançamentos da DarkSide Books ao vivo, principalmente aos que moram em cidades que não têm livrarias, gravei o vídeo para mostrar como ficou o projeto gráfico do livro – aliás, tem uma playlist no meu canal do Youtube, na qual você pode conferir algumas das edições da DarkSide. Afinal, era uma curiosidade que eu também tinha de como ia ficar a obra literária, levando em conta que muitas editoras já publicarão os contos de Edgar Allan Poe. A caveirinha não nos decepcionou com o seu trabalho primoroso!

Assista ao vídeo:



"Poucos autores se tornaram tão efígie de sua obra quanto Edgar Allan Poe. A imagem de seu enigmático retrato parece presidir sobre cada uma de suas palavras, como o busto de Palas em seu poema mais célebre. Sozinho, ou pareado com o corvo, o semblante de Poe nos devolve em seu olhar a mesma impressão de desamparo, angústia e empáfia tão presentes em suas criações literárias. Ler Poe é, antes de tudo, reconhecê-lo. Porém, na fantástica casa de espelhos onde ele se encontra, com sua imagem replicada em uma multidão de máscaras, por onde podemos começar? Fractal e fragmento, o rosto do autor nos fita em sua incompreensível beleza – e nunca houve uma esfinge com tantos segredos" Marcia Heloisa, tradutora

Sobre o autor 


Desaparecido precocemente aos 40 anos, Edgar Allan Poe (1809-1849) já ultrapassou dois séculos de seu nascimento em posição privilegiada, responsável não somente por influenciar alguns dos mais importantes escritores das décadas seguintes como também por estabelecer com propriedade caminhos novos e férteis para a literatura ocidental do então século XIX. Jorge Luis Borges, um de seus mais ardorosos fãs, teria dito que "a literatura atual seria inconcebível sem Whitman e Poe". Mann, Arthur Conan Doyle, Júlio Verne, Charles Baudelaire, Vladimir Nabokov, Oscar Wilde, Fernando Pessoa e Machado de Assis.

Com narrativas científicas, misteriosas e policialescas permeadas de terror, horror e suspense, Poe carrega nas costas o título de criar de vários gêneros literários. Outro admirador, o poeta francês Paul Valéry, afirmou ser do autor os primeiros e mais impressionantes exemplos da narrativa científica, além de considerá-lo o responsável por introduzir situações e estados psicologicamente doentios na literatura.

Em 1845, "O Corvo" trouxe alguma fama a Poe, que havia começado a publicar poemas em 1826, com o dinheiro que seu pai de criação havia lhe dado para sobreviver em Boston. Seus contos começaram a ser compostos na década seguinte, e publicou cinco deles no Philadelphia Saturday Courier, em 1832. Depois, até meados dos anos 1840, editou revistas literárias, atuando como crítico e também publicando suas histórias, que começariam a ser editadas em livro em 1838.

A tragédia que permeava seus escritos chegou a invadir a própria vida, com a falência do jornal que publicava junto com C. F. Briggs, seguida da morte de sua esposa, Virginia, em 1847. Predispostos ao álcool, afundou-se na bebida, que transtornava sua personalidade já em pequenas doses. Não levaria três anos para morrer de uma forma misteriosa que até hoje suscita discussões. Espancamento, epilepsia, dipsomania, enfarto, intoxicação, hipoglicemia, diabetes, desidrogenase alcoólica, porfiria, delirium tremens, raiva, assassinato, envenenamento por monóxido de carbono – as hipóteses são várias.

De concreto, sabemos que foi achado "em Boltimore, em uma sórdida taberna, pelo dr. James E. Snodgrass, velho amigo, no dia 3 de outubro, com roupas que não eram suas e em condição deplorável. Encontrava-se em estado de delirium tremens e foi levado ainda inconsciente ao Washington College Hospital, onde foi atendido pelo médico residente, o dr. J. J. Moran, e onde morreu quatro dias depois, no domingo, 7 de outubro de 1849. Foi enterrado no pátio da Westminster Presbyterian Church, em Baltimore, Maryland", conforme escreve James Southall Wilson em sua biografia resumida composta pelo Poe Museum, instituição que cuida da memória do poeta e contista. Incrível e improvável, como nas melhores histórias de Edgar Allan Poe.

Sobre a tradutora


Marcia Heloisa é tradutora, professora, pesquisadora e dark desde sempre. Tem trabalhos publicados sobre literatura e cinema de horror e já deu workshops sobre casas mal-assombradas e vampiros. Há sete anos desafia a caretice canônica da vida acadêmica inserindo seus monstros queridos em aulas, artigos, cursos e congressos. Embora casada com o gótico vitoriano, atualmente anda flertando com o horror moderno e, após um mestrado sobre Drácula, está concluindo sua tese de doutorado sobre O Exorcista. Batizou um dos seus gatos de Edgar, em homenagem ao mestre Poe – mas ele só atende por Gaga.

Sobre o ilustrador


O artista gráfico Ramon Rodrigues nasceu em Florianópolis, Santa Catarina, no ano de 1982. Possui formação acadêmica em Design Industrial e é mestre em Design, ambos na UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina. Paralelo à sua formação acadêmica estudou desenho, ilustração, anatomia e gravura no Brasil e na Argentina. Frequentou durante alguns anos as oficinas de gravura da Fundação Catarinense de Cultura, no Centro Integrado de Cultura, em Florianópolis, onde estudou litogravura (gravura com a matriz em pedra) e depois xilogravura (gravura com a matriz em madeira), sempre orientado pelo mestre Bebeto. Em 2010, morou em Buenos Aires, onde estudou desenho, pintura e fez residência artística no ateliê de xilogravura do mestre argentino Leonardo Gotleyb. Saiba mais em ramon-rodrigues.com

E você, ficou interessado para ler Edgar Allan Poe: Medo Clássico Volume 1?

2 comentários:

  1. Olá, eu comecei a ler as boras do Poe no desafio literário 12 meses de Poe, no ano passado, e desde então tenho me interessado cada vez mais pelas história dele. Quero muito adquirir esse livro, ainda mais depois de ter visto como a edição está linda no seu vídeo.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari!
      Fico feliz que tenha gostado do vídeo. Sou suspeito, gosto muito do Edgar Allan Poe. É um escritor que me inspirou bastante. Essa edição da DarkSide Books é maravilhosa. A editora Tordesilhas também tem uma edição lindíssima – tenho até algumas ilustrações compartilhadas aqui no blog, já que caíram em domínio público.
      Gratidão pela visita!

      Excluir

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram