Pular para o conteúdo principal

Destaques

Criminologia, Jornalismo e Ativismo Social: Uma Tríade Maquiavélica, Subjetiva e Tosca – Ben Oliveira

Uma coisa que precisa ser dita sobre Ciências Humanas e Criminologia . Vocês distorcem quase tudo com subjetividade. Nem todo assassinato de LGBTQ é LGBTQFOBIA , racismo etc etc. Estudem mais e passem menos vergonha na internet por ativismo burro.  Já falei e repito: quem define a motivação do crime é o assassino. Quem descobre? Quem está investigando. Não é a 'opinião' da sociedade nem todos mimimis que muita gente leva nas costas, como se fosse a vida deles, e sempre sofrem, sofrem e sofrem. Iluminação significa enxergar as coisas com clareza. Equilibrar ciência e magia, yin-yang, wicca e yoga. Mas muitos de vocês não estão e nunca estarão prontos para essa conversa. É triste? Mas real.  Se for para fazer ativismo burro é melhor não fazer, pois presta desserviço à sociedade e pânico desnecessário. Para quem é jornalista, responsabilidade SEMPRE. Vida profissional e vida pessoal, identidade pessoal e coletiva, justiça pessoal e coletiva, coisas completamente diferentes. Eu po

Oráculo da Deusa: Rhiannon – Amy Sophia Marashinsky

Rhianna (nome derivado de Rhiannon, Deusa da Dúvida). Um poço de carência: sempre em dúvida. Vou ir ou ficar? Sempre faz um escândalo quando aparece alguém.

Uma das várias deusas injustiçadas. Foi acusada de matar um filho, mas ele retornou sete anos depois para casa.

Um ótimo conto caucionário sobre mentes maquiavélicas, Gaslighting, culpa e libertação. 

E um ótimo lembrete sobre a importância de meter o foda-se para quem acha que conhece sua vida melhor do que você. 

Projeção é algo terrível. Reflete mais sobre a visão de quem vê do que sobre sua real essência.


“Eu não tinha certeza afinal, meu rosto todo estava sujo de sangue

Todos os dedos apontavam para mim

Poderia eu tê-lo assassinado

Meu filho ainda criança

Meu próprio filho.

No meu sonho fui acusada e considerada culpada e duvidei de mim por sete longos anos...

Foram muitos os momentos em que duvidei de mim

Eu e todos os outros seres humanos

Porque eu era do Além

Tudo era possível”

– Amy Sophia Marashinsky

*Ben Oliveira é escritor, formado em jornalismo e bruxo há 25 anos. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Leia também: 

Tarot para Virgem no Mercúrio Retrógado: Pessoas cortadas dos signos de Ar e Fogo no período

Twin Flames: Das escolhas quando o juramento de amor e proteção se torna tóxico 

Resenha: O Tarô da Deusa Tríplice – Isha Lerner 

Twin Flames – Nikki Rowe 

Dica de livro: O Tarô de Marselha Revelado 

Twin Flames: Chamas gêmeas devoradas pelo ouroboros – Ben Oliveira 

6 Quotes de Penny Dreadful: Vanessa Ives 

6 Conselhos para Bruxos Iniciantes – Ben Oliveira 

Comentários