Pular para o conteúdo principal

Destaques

Revolutionary Love: Série coreana de drama explora o abismo que divide as classes sociais

Embora muitos dramas coreanos pequem na representatividade de diversidade racial e deem pouquíssimo espaço para estrangeiros e imigrantes, a série Revolutionary Love (2017) da tvN e no Brasil disponível temporariamente pela Netflix , acaba indo além dos elementos de comédia e romance, mostrando o drama das diferenças de classes sociais , os preconceitos e a possibilidade de imersão nesse mundo desconhecido pelo filho do dono de um dos maiores conglomerados de empresas da Coreia do Sul . A ingenuidade e a ignorância da realidade das classes trabalhadoras tornam o protagonista um tanto embaraçoso, lembrando de forma vaga a jornada de Buda quando conheceu a realidade fora do palácio e foi confrontado com a fome, a doença, a pobreza e a morte. Longe de ser uma série com alguma alegoria espiritual, mas do ponto de vista do comportamento é interessante acompanhar como Byun Hyuk (Choi Si-won) se torna mais empático e humanizado quando seu caminho cruza com o de Baek Joon (Kang So-ra) . E

Parceria do Blog com a Editora Orgástica

Não estranhe se entrar no blog e dar de cara com resenhas, novidades e lançamentos da Editora Orgástica. Atualizei hoje o novo selo de parceria com a editora. O Blog do Ben Oliveira também foi adicionado à lista de blogs parceiros no site da Orgástica.

Para quem ainda não conhece, a Editora Orgástica foi criada em 2013, pelo escritor Fabrício Viana e publica obras ligadas à sexualidade humana, desde educação sexual até coletâneas eróticas, como a Ursos Perversos (leia a resenha).

Confira: entrevista com o autor Fabrício Viana

O convite que começou informal, através de uma amizade virtual com Fabrício Viana, agora está oficializado. Em breve, devo receber exemplares dos novos livros, como o Bem-Te-Vi, da escritora Marli Porto, que será lançado no final de maio, em São Paulo. O livro propõe reflexões sobre a tolerância e diversidade no colégio, ao narrar a paixão entre um adolescente por outro garoto.

Um dos lançamentos deste ano, que, aliás, já foi resenhado para o blog, foi o livro Orgias Literárias da Tribo, uma coletânea de textos escritos por gays, lésbicas e trans de São Paulo. Contos, crônicas, poemas, a obra é marcada pela diversidade cultural, convergências e divergências entre os inúmeros mundos dentro do universo colorido.

A editora Orgástica também está responsável pela venda do livro O Armário, escrito pelo Fabrício Viana. Já na terceira edição, a obra aborda a homossexualidade, a saída do armário e as consequências da repressão.

O livro Uma Luz para Davi, da escritora Marli Porto, terá sua segunda edição publicada pela Orgástica. Ainda não li, mas a história narra o envolvimento entre Davi e um traficante, marcada por desejos e perigos.

Além das publicações da Editora Orgástica, no site da editora também são vendidos livros com temática gay e lésbica, como o romance As Rosas e a Revolução, da escritora Karina Dias – uma história envolvente de amor e sofrimento na época da ditadura militar. Outros destaques são os livros: Crônicas de um casamento duplamente gay e Em Busca de Mim Mesmo, ambos do escritor Sérgio Viula; Por favor, me ajude!, do Alexandre Calladinni e a coletânea de contos eróticos gays, Censurado.

Comentários

Mais lidas da semana