segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Resenha: Psicologias: Uma introdução ao estudo de Psicologia

Psicologias: Uma introdução ao estudo de Psicologia dos autores Ana Mercês Bahia, Odiar Furtado e Maria de Lourdes Trassi Teixeira procura responder a dúvida que os estudantes do Ensino Médio e também do Ensino Superior têm sobre Psicologia. A primeira edição do livro foi lançada em 1988 e através das sugestões dos leitores, diversas edições revisadas, modificadas e ampliadas surgiram.

Dividido em três partes, o livro didático traz um pouco da história da Psicologia, abordagens teóricas, temas básicos, áreas de conhecimento, principais características da profissão e temas do cotidiano vistos sob a ótica da Psicologia. Com uma linguagem acessível e conteúdo descritivo, o leitor consegue absorver facilmente as informações transmitidas no livro e transformá-las em conhecimento. Psicologias é um pontapé inicial para quem deseja aprender mais sobre esta área de estudo e atuação profissional que tem crescido cada vez mais com o passar dos anos.

O que é a Psicologia? Qual é a diferença entre psicólogo e psiquiatra? Quais são os campos de atuação do psicólogo? Como a psicologia pode ajudar no desenvolvimento humano, escolar e social? Tantas perguntas que passam pela cabeça de quem tem vontade de conhecer mais sobre a psicologia. Como o próprio nome do livro lembra, o conteúdo é introdutório, no entanto se bem utilizado pode fornecer uma base teórica suficiente para possibilitar o aprofundamento de outras temáticas. Na área de Comunicação Social, por exemplo, os conceitos da Psicologia, Sociologia e Filosofia ajudam a compreender melhor as teorias e a importância dos meios de comunicação de massa e seus impactos na sociedade. As áreas estão relacionadas, logo o que se vê nos livros de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Comunicação são estudos produzidos por pesquisadores e estudiosos dos campos citados acima. Aos leitores que pensam em escolher a Psicologia como sua futura profissão, o livro ajuda bastante, reforçando que várias áreas estudam os humanos e portanto, não se deve levar só isso em conta.

Na primeira parte do livro os autores apresentam as diferenças entre ciência e senso comum, mostrando como a Psicologia pode ser vista como uma área do conhecimento. É interessante notar como ao longo das páginas também é tratada a ética para os psicólogos e como esses profissionais devem se comportar. A importância de se conceituar os termos da Psicologia possibilita um aprendizado melhor. Desde a época em que as pessoas eram consideradas loucas e ficavam reclusas até os dias atuais, cujos conhecimentos de tantas patologias fazem os indivíduos buscarem soluções rápidas para seus problemas, creditando os sentimentos de angústia e sofrimento à depressão, o texto traz um diálogo com o leitor, fornecendo uma troca de informações e conhecimentos e levando à reflexão dos nossos cotidianos.

Existem diversas teorias da Psicologia. No livro foram selecionadas as três consideradas mais importantes neste século: o Behaviorismo, a Gestalt e a Psicanálise. Na Publicidade e Propaganda quando se tratam da produção de anúncios, muitas vezes, ouve-se falar da Gestalt. Ao se pensar em Psicanálise é impossível não se lembrar da figura de Freud e os avanços conquistados na ciência e a compreensão do homem foram possibilitados pelo autor de diversas obras fundamentais para pensar a sociedade. Já o Behavorismo, como sugere o nome está voltado para a noção do comportamento e suas aplicações práticas.

Behaviorismo – termo inaugurado em 1913, pelo americano John B. Watson. A defesa do pesquisador contribuiu para o desenvolvimento da Psicologia como uma ciência, definindo o objeto de estudo que poderia ser observado, medido e experimentado. Segundo os autores, Watson tentava prever e controlar o comportamento humano, afirmando que os estímulos determinavam respostas nos organismos, o que ocorria graças aos ajustes ambientais de hereditariedade e formação de hábitos. “O Behaviorismo dedica-se ao estudo das interações entre o indivíduo e o ambiente, entre as ações do indivíduo (suas respostas) e o ambiente (as estimulações)”, descreve o livro. Por se fazer parte do ambiente, o homem é visto como o produto e produtor das interações.

Gestalt – o termo alemão está relacionado a forma ou configuração. Segundo os autores, a Psicologia da Gestalt procura estudar a forma e sua percepção, ajudando a entender o comportamento humano analisando o que o indivíduo percebe e como percebe. Diferente do Behaviorismo que tenta analisar e isolar o comportamento através da relação estímulo-respostas, a Gestalt leva em consideração as condições que alteram a percepção do estímulo, vendo um contexto mais amplo. “A maneira como percebemos um determinado estímulo irá desencadear nosso comportamento”, justificam os autores.

Psicanálise – o livro aborda um pouco da história da criação da Psicanálise e de Freud, sendo esta teoria e método de investigação fontes para o entendimento do ser humano. Com a teoria, Freud possibilitou o entendimento do funcionamento da vida psíquica e com a prática profissional, o autor buscou interpretar o que está oculto por trás dos sonhos, delírios e imaginações. “A prática profissional refere-se à forma de tratamento – a Análise – que busca o autoconhecimento ou a cura, que ocorre através desse autoconhecimento”, definem os autores. Segundo o livro, para entender a psicanálise é preciso conhecer a história de Freud. Com a psicanálise é possível entender os fenômenos sociais relevantes da sociedade em que vivemos, como as consequências do mundo contemporâneo e da globalização, levando ao sofrimento, individualismo, violência, entre outros problemas dos tempos modernos.

FreudConsiderado o pai da Psicanálise, Freud criou a teoria sobre a estrutura do aparelho psíquico ajudando a entender a estrutura e funcionamento da personalidade e aos três sistemas: inconsciente (conteúdos reprimidos), pré-consciente (conteúdos acessíveis) e consciente (percepção do mundo exterior, atenção e raciocínio).

Outro avanço surgido com as pesquisas de Freud foi a descoberta da sexualidade infantil, analisando as diferentes fases do desenvolvimento sexual: fase oral, faze anal, fase fálica e fase genital, além de ter destacado o Complexo de Édipo. “No complexo de Édipo, a mãe é o objeto de desejo do menino, e o pai é o rival que impede seu acesso ao objeto desejado”, simplificam os autores.

A segunda teoria do aparelho psíquico formulada por Freud também é abordada no livro, no qual o autor introduziu os conceitos de ID, EGO e SUPEREGO. O ID relacionado as pulsões de vida e morte, o EGO entre o equilíbrio entre as exigências e ordens e o SUPEREGO com a internalização das proibições, limites e autoridade.

Na segunda parte do livro são estudados alguns temas teóricos, complementando a caracterização da Psicologia. Os autores falam sobre o homem, a inteligência, a vida afetiva, a identidade, a psicologia institucional e processo grupal e a sexualidade. Os textos compartilhados nestes capítulos facilitam o entendimento do ser humano e mostrando como acontece o nosso desenvolvimento. Um dos capítulos fala sobre os testes de inteligência e se eles servem realmente para caracterizar alguém ou não, visto que o que pode ser fácil para um, para outro pode ser considerado difícil, além dos resultados poderem se alterar ao longo da vida. A sexualidade pode ser um assunto complexo e ainda considerado tabu traz à tona informações que podem ser debatidas em sala de aula, principalmente pela dificuldade que alguns pais têm de discutirem com seus filhos.

A terceira e última parte do livro está voltada para a Psicologia como uma Leitura da Realidade. A família é foco de um dos capítulos no qual os autores explicam qual é a influência desta primeira educação nas vidas das pessoas, como elas ajudam a reprimir os desejos, a desenvolver a linguagem, entre outras considerações. A escola e a educação, uns dos principais problemas do Brasil também são comentadas, ensinando a importância dos educadores se aproximarem da realidade dos alunos para que os mesmos possam associar os seus conhecimentos ao cotidianos e não o contrário, como acontece com aqueles que estudam somente para obter o diploma e conseguir um “futuro melhor” ou vaga no mercado de trabalho.

Existe alguma influência dos meios de comunicação de massa nas pessoas? Quando olhamos alguém reclamar sobre os focos dados por alguns jornais, por exemplo, a determinado assunto fica evidente a força da subjetividade. Apesar de o Jornalismo pregar a objetividade, sabe-se que é impossível separar o profissional do contexto social em que vive, de suas opiniões, ideias e visões do mundo.  Além da importância da ética jornalística, os autores também discutem a força da propaganda e indução do desejo de consumo nas pessoas, a linguagem da sedução, a propaganda ideológica.

Considerada uma das fases mais turbulentas do desenvolvimento humano, o livro debate sobre a adolescência, comentando que vivemos em uma época onde muitos jovens são adultescentes, ou adultos-adolescentes, já que o fim desta fase de vida está relacionado à entrada no mercado de trabalho, amadurecimento e independência. Os autores falam sobre a situação do jovem em nossa sociedade e não fica dúvida em como associar o conteúdo com o que vemos nos nossos cotidianos, já que estes adultos estão cada vez mais prolongando o tempo para não lidarem com responsabilidades e trabalhos. Outra informação discutida é a de como em antigos contextos os jovens gostariam de parecerem mais velhos e de como nos dias atuais eles estão buscando cada vez mais a tão aclamada juventude eterna.

Como é feita a escolha profissional? Que fatores devem ser levados em conta? Tantas dúvidas permeiam os adolescentes durante a conclusão do Ensino Médio. Além de ensinar como a Psicologia pode ajudar a direcionar os alunos através dos testes vocacionais, por exemplo, os próprios autores dão suas dicas, mostrando que quanto mais informações forem pesquisadas, maiores são as chances de acertar na escolha do curso e futura profissão, quebrando aquele mito de que muita procura pode confundir os jovens. Ao mesmo tempo em que o jovem tem o poder de escolha, ele não tem, e o livro mostra como para o adolescente carente é mais difícil ainda conquistar o seu lugar, por mais esforços que ele faça, pois é preciso levar em conta os fatores sociais e econômicos. Os autores também ressaltam que a vida é dinâmica e a todo momento estamos nos transformando, portanto o aluno não precisa se preocupar tanto com o futuro e com sua profissão, já que nossas percepções vão mudando com o passar do tempo.

De forma breve são discutidas a violência e saúde. Um dos textos complementares do livro chama a atenção para a necessidade de abrir os olhos para a violência sexual, principalmente a que acontece dentro de casa. No Brasil, a violência muitas vezes está relacionada à criminalidade e à pobreza. Uma das críticas do livro é de como muitas crianças são vistas como delinquentes, trazendo o caso de dois meninos que foram até um supermercado e comeram chocolate. Enquanto um estava todo lambuzado e foi expulso pelo segurança, o outro estava acompanhado de sua mãe e ninguém percebeu que ele também comia. Entender a Psicologia e discutir esses assuntos presentes em nossa sociedade é fundamental, independente da área de atuação do leitor, pois possibilita o pensar crítico e analisar melhor nossas atitudes. Já quando se trata da saúde é questionado o que é loucura ou não, a diferença entre o normal e o patológico e a importância da promoção da saúde mental. Na época da Igreja, por exemplo, todos que iam contra a religião não eram bem vistos e pagavam o preço. Até hoje a figura do louco é vista como alguém que precisa ser excluído da sociedade, como se sua condição pudesse ser transmitida.

Para quem gosta de se aprofundar mais nos conteúdos de livros, esta obra traz diversas recomendações de leitura para alunos e para professores, além de filmes, ajudando a fixar e associar melhor o que foi aprendido. São tantos assuntos interessantes debatidos no livro que não conseguiria pontuar todos aqui. Fica aqui a minha recomendação de leitura para quem deseja explorar o universo da Psicologia e entender mais sobre essa ciência de que estuda o comportamento humano, o inconsciente, a personalidade e outras vertentes, já que somos todos tão complexos e existem diversas teorias e práticas desta área do conhecimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram