Pular para o conteúdo principal

Destaques

12 Graphic Novels que você precisa ler

Começou como uma forma de experimentação na leitura. Apesar de gostar de tirinhas, nunca tinha me aventurado pelo universo das graphic novels, como aconteceu há alguns anos – pelo menos, não de forma que me interessasse.

Percebo que cada vez mais pessoas estão se interessando pelos diferentes formatos de narrativas. Acho válida toda forma de contação de histórias e acredito que elas podem criar experiências complementares. Há espaço para todos gostos.


Com doze indicações de leitura, dá para ler um livro por mês ou ler todos em um só mês, dependendo do ritmo de leitura e da fome por histórias de cada um. Entre temáticas mais sociais e outras mais fantasiosas, as graphic novels podem ser uma porta de entrada para outros livros, como podem ocupar um espaço central no coração de quem é aficionado por histórias ilustradas.

Histórias que podem ir muito além de um passa-tempo, como se acreditava antigamente, mas também proporcionar reflexões sobre a vida, juntando o melhor dos dois mundos: d…

Livro sobre psicopatas traz relatos de especialista em diagnósticos

Lançado originalmente em 1993, o livro Sem Consciência: O mundo perturbador dos
Psicopatas que vivem entre nós (Without Conscience: The Disturbing World of the Psychopaths Among Us) explora o universo do transtorno da psicopatia. Apesar da primeira edição do livro ter sido publicada há mais de 25 anos, muitas informações permanecem relevantes para quem tem curiosidade sobre o assunto. No Brasil, a edição mais recente do livro é a da editora Artmed (Grupo A), lançada em 2013, com tradução de Denise Regina de Sales.


Na época de lançamento do livro, imagino que a obra ajudou a quebrar vários dos mitos sobre psicopatas – em um período em que as pessoas não tinham tanto acesso às informações, como temos atualmente com a internet e bem mais materiais bibliográficos sobre o assunto. Independente disso, seja por causa de expressões midiáticas e da cultura popular, logo se percebe que muita gente tem dificuldade de entender o que é a psicopatia. Assim como outros transtornos de personalidade, a psicopatia nem sempre é fácil de diagnosticar. O próprio autor ressalta que nem todas pessoas descritas no livro são necessariamente psicopatas, mas que os comportamentos destes indivíduos foram utilizados para ilustrar o transtorno.

A ausência de remorso é uma das características mais marcantes de indivíduos com o transtorno. Como diferenciar um criminoso de um criminoso psicopata? Algumas pessoas são descritas como psicopatas por causa da crueldade de seus atos, mas será que todo psicopata é assassino? É preciso lembrar que o diagnóstico não é tão simples como pode parecer. Robert D. Hare não só acabou desmistificando esse universo com retratos de psicopatas em 25 anos de pesquisas, como o especialista em psicologia criminal e psicopatia acabou criando uma ferramenta que ajudasse a diagnosticar psicopatas: The Psychopathy Checklist (Psychopathy Checklist—revised (PCL-R).

“Os psicopatas com frequência se comportam como pessoas arrogantes e vaidosas, sem nenhuma vergonha – são seguros de si, de opinião firme, dominadores e convencidos. Adoram ter poder e controle sobre os demais e parecem incapazes de reconhecer que as outras pessoas têm opiniões próprias válidas” – Robert D. Hare, Sem Consciência

Olhando o material nos dias atuais, é possível ver o quanto as informações descontextualizadas podem dar uma visão errada da psicopatia, especialmente para leitores paranoicos. Porém, o livro permanece importante, especialmente porque os critérios de Hare foram adotados em diferentes países e seu teste só pode ser aplicado por profissionais qualificados e sob condições controladas.

Além da ausência de culpa, segundo Robert D. Hare muitos psicopatas podem ser impulsivos, mentirosos patológicos, narcisistas agressivos e controladores, emocionalmente superficiais, bem como terem pouco controle comportamental, cometer delitos, crimes e desrespeitar regras sociais, problemas comportamentais desde a infância, como agressividade e violência contra animais e pessoas e desrespeito e indiferença às autoridades.

“Há psicopatas que, às vezes, fingem ser médicos e, assim, têm o poder de diagnosticar doenças, prescrever medicamentos e até realizar cirurgias. O fato de, com frequência, colocarem em risco a saúde ou a vida dos pacientes não os incomoda nem um pouco” – Robert D. Hare, Sem Consciência

Robert D. Hare dá vários exemplos no livro, mas um dos mais marcantes para mim foi o de psicopatas que atuam em áreas como a da saúde. Dá para imaginar o perigo que é entregar sua vida às mãos de uma pessoa que pode te manipular e fazer mal sem se importar com as consequências? Seja com formação profissional ou não, psicopatas podem aprender a se camuflar na sociedade e seus comportamentos narcisista os tornam sedutores e perigosos, pois dificilmente alguém consegue reconhecer quando faz parte deste jogo que pode custar suas vidas ou influenciar a saúde mental.

Também no livro, o especialista em psicopatas lembra que é bem comum alguns desses criminosos usarem seus conhecimentos para manipular tanto os especialistas em mente e comportamentos, bem como as outras pessoas ao redor. Ele cita o caso de criminosos que tentam passar a imagem de que renasceram e muitas vezes se filiam a grupos religiosos. No caso dos psicopatas, como é um transtorno sem cura, a justiça nem sempre sabe o que fazer com esses assassinos e eles podem fazer mais vítimas, usando sua influência e sendo protegido por outras pessoas, seja por medo ou por ignorância.

“Não é difícil entender por que os psicopatas são atraídos para o crime de colarinho branco e se dão tão bem nesse nicho. Em primeiro lugar, há um monte de oportunidades rentáveis à mão... Em segundo lugar, os psicopatas têm todas as ferramentas de que precisam para fraudar e enganar os outros: eles são convincentes, encantadores, seguros de si, hábeis em situações sociais, frios sob pressão, inteiramente implacáveis e não se intimidam com o risco de serem apanhados. Quando desmascarados, continuam a agir como se nada tivesse acontecido e, com frequência, deixam seus acusadores desnorteados e incertos a respeito de suas próprias posições. Finalmente, o crime de colarinho branco é lucrativo, os riscos de os fraudadores serem descobertos são mínimos e as penalidades não costumam passar de triviais” – Robert D. Hare, Sem Consciência

O destino de psicopatas com tendências criminais permanece incerto, especialmente pela dificuldade de identificação. Além de compartilhar sua própria experiência com a pesquisa e entrevistando psicopatas, o autor finaliza o livro deixando dicas para quem quiser se proteger, quem já se envolveu com psicopatas e deixando orientações para familiares. Robert D. Hare é categórico ao afirmar que psicopatas participam da sociedade e sempre há uma chance de trombar de seus caminhos se cruzarem. “Embora ninguém esteja imune a maquinações desonestas de um psicopata, há algumas coisas que podemos fazer para reduzir nossa vulnerabilidade”, conclui. Para o pesquisador, mesmo com tantas respostas, as perguntas continuam crescentes e tão importante quanto a captura de assassinos, seria o investimento em soluções e intervenções precoces em busca de uma socialização verdadeira.

Sobre o autor – Robert D. Hare é o autor de Sem Consciência e o criador da ferramenta padrão para diagnostica a psicopatia. Ele é professor emérito de psicologia na Universidade British Columbia e presidente do Darkstone Research Group, uma empresa de pesquisa e consultoria forense. Ganhou inúmeros prêmios por sua pesquisa, faz palestras sobre psicopatia e dá consultoria para organizações, como o FBI. Ele mora com sua esposa em Vancouver, British columbia.

Mais indicações de livros sobre o assunto indicados aqui no blog:

Livro de escritora brasileira reúne histórias de serial killers que chocaram o mundo

Livro sobre assassinos, serial killers e psicopatas que caçaram vítimas na internet

Livro da Ilana Casoy explora casos de serial killers brasileiros

Resenha: Legião – William Peter Blatty

Livro explora julgamentos de crimes em família que chocaram os brasileiros

Resenha: American Crime Story: O Povo Contra O. J. Simpson – Jeffrey Toobin

Resenha: Psicose – Robert Bloch

*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

  1. Adorei a resenha.
    Esse é um tema que muito me atrai. Apesar eu eu estudar engenharia, sou apaixonada por psicologia e mais ainda pela mente humana.
    Bom saber que há um livro assim.

    Abraço e ótimo final de semana
    http://mylife-rapha.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rapha! Obrigado pela visita e pela leitura. Também acho fascinante entender a mente humana.
      Abraço

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana