Pular para o conteúdo principal

Destaques

Neurodiversidade: Autismo não só biológico ou só identidade social

A Neurodiversidade dá um tiro no pé ao tratar o autismo como algo meramente social (identidade social), ignorando as particularidades neurobiológicas de CADA autista. Mas o extremismo científico também erra ao ver como algo meramente biológico, ou até mesmo patológico.


O ideal seria ver o melhor dos dois mundos, algo impossível diante da polarização. Todo mundo sai perdendo.

É utopia esperar que a sociedade vá se adequar completamente aos autistas, especialmente porque cada autista pode ser completamente diferente do outro. O ambiente adaptado para um autista, é o ambiente desadaptado para o outro – isso entre os próprios autistas.

Enquanto as pessoas continuarem tratando o autismo como algo 'universal', ignorando as especificidades, esse debate não vai para frente.

O Asperger que não precisa interagir com os outros, não precisa trabalhar, não precisa fazer nada que o tire da zona de conforto, talvez não sinta muita dificuldade em viver em um mundo não adaptado. Mas não é a re…

Hiperfoco autista: Livros e autismo

Uma das minhas estantes. Quando falo de hiperfoco, muita gente não entende. O cérebro autista é capaz de se focar na mesma atividade/interesse durante horas e esquecer o tempo. Meu hiperfoco de mais tempo é a leitura, mas ao longo da vida tive outros e ainda tenho. Um dos hiperfocos temporários é o autismo.


Leia também: Fake news de saúde: Epidemia e a responsabilidade dos jornalistas

Quem me vê falando do assunto acha que conheço há anos, mas aprendo com velocidade e facilidade e já sei coisas que muitos profissionais desatualizados nem fazem ideia, como pesquisas inconclusivas, tratamentos falsos e controversos, camuflagem, hereditariedade etc.

Outra coisa interessante sobre os tipos de pensamentos: existem vários e variam de autista para autista. Não existem dois autistas iguais: é como impressão digital. Com a habilidade de reconhecer padrões, nós conseguimos identificar certas coisas com mais facilidade.

A mídia e alguns profissionais se focam tanto no lado negativo, que muitas pessoas no espectro autista tentam levar conscientização sobre o assunto, quebrando tabus, desmentindo informações falsas e desconstruindo preconceitos.

Ao longo da vida, li mais de 850 livros (segundo o Skoob), mas sou hiperlexico (quem lê desde cedo) e minha vida de leitor começou muitos anos antes de ter uma conta no Skoob. Eu chutaria mais de mil livros (e não falo para me vangloriar, só para que as pessoas entendam a intensidade do hiperfoco e como se diferencia de hobby).

Curiosidade: Nem todo autista tem hiperfoco. TDAHs também podem ter hiperfoco, mas não se sustentam com a mesma intensidade do hiperfoco autista.

Muitas pessoas no espectro podem ser ingênuas e assim como elas, eu já fui enganado várias vezes ao longo da vida. Mas a gente aprende com os tapas, com as leituras e vivências. Hoje em dia, para conseguir me enganar, a pessoa tem que ser bem ardilosa.

Digo isso, pois o meio do autismo gera tanto lucro, que a verdade incomoda. Quando você não consegue ser manipulado, algumas pessoas tentam jogar os outros contra você – mesmo que você só esteja fazendo seu papel de informar sobre o Autismo de forma correta.

Falar de assuntos que mexem com o bolso dos outros, tabus e fake news de saúde, sempre incomoda, mas é necessário alertar.
***
Algumas pessoas me pediram indicação de leitura sobre a relação entre distúrbios alimentares e autismo. Muitas meninas/mulheres/homens não-diagnosticados podem ter anorexia e seletividade alimentar. Recomendo o filme O Mínimo para Viver, disponível na Netflix.

Está precisando de ajuda? Procure nutricionista, psicólogo e médico! Na minha adolescência, muitos anos antes do diagnóstico de autismo (tenho o papel há menos de 2 meses, mas autodiagnosticado há mais de 1 ano e meio e estudo a área há quase 2 anos por ser meu hiperfoco temporário), eu tive anorexia e bulimia e precisei fazer acompanhamento.

PS: Fuja de nutricionistas que pedem para cortar o glúten se você não tiver alergia/intolerância. Não existe comprovação de que isso 'reduza os sintomas de autismo' – só pesquisas de BAIXA qualidade.



Censos demográficos terão dados sobre autismo: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/04/23/censos-demograficos-terao-dados-sobre-autismo

Anvisa libera declaração e vídeo sobre MMS: http://www.rivotrip.com/2019/04/27/anvisa-solta-declaracao-em-video-sobre-mms/

Leia também: 

Livros: Paixão pela leitura, hiperfoco autista e profissão de escritor 

Autismo: Esgotamento, desorganização e autonomia 

Autismo: Asperger jornalista e o silenciamento sobre tratamentos falsos e perigosos 

Autismo: Campanha contra charlatanismo, tratamentos perigosos e falta de apoio  

Autismo: Fraudes, Esquemas, Crimes e Silenciamento dos Adultos Autistas 

História do Autismo: Conhecer erros do passado e não repeti-los no presente 

Autismo: Ética e a responsabilidade com o bem-estar dos autistas 

Autismo: Desinformação, evidências científicas e responsabilidade ética 

Autismo: Pensamento crítico e charlatanismo 

Autismo: Despreparo Profissional e o Bingo dos Diagnósticos Errados 

Quer me apoiar na escrita e continuar produzindo conteúdo para o blog? Conheça meus livros:

Escrita Maldita: https://amzn.to/2DuCYfk

O Círculo (Os Bruxos de São Cipriano Vol. 1): https://amzn.to/2IQkY2l

O Livro (Os Bruxos de São Cipriano Vol. 2): https://amzn.to/2UzVoAP

Aproveite para comprar livros na promoção na Amazon: https://amzn.to/2Uw0jD7

 *Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.



Para ficar por dentro das minhas novidades:


Facebook: https://www.facebook.com/benoliveiraautor/

Twitter: https://twitter.com/Ben_Oliveira

Instagram: https://www.instagram.com/benoliveira/

YouTube: http://www.youtube.com/c/BlogdoBenOliveira

Comentários

Mais lidas da semana