terça-feira, 1 de julho de 2014

Leituras de Junho

Este é o terceiro post que faço relacionando minha lista de leituras do mês, seja para compartilhar os livros que já li ou para ficar registrado aqui no blog, como se fosse uma espécie de diário literário. Junho foi um mês produtivo, tanto em leitura quanto em escrita (Tive um conto selecionado para a antologia Seres Mitológicos, da Editora Buriti e terminei de revisar um romance para participar de um concurso literário).

Livros e Café: Meus dois vícios.
Neste mês, li 17 livros, dois deles que eu havia terminado nos dois últimos de maio e não haviam entrado na outra lista porque eu escrevi antes de concluir suas leituras. Foram eles: Bem-Te-Vi, da escritora Marli Porto, publicado pela Editora Orgástica – o livro conta a história de um adolescente gay que se apaixona por outro rapaz, abordando questões como a homofobia dentro do colégio, neste período de descobertas sobre a própria sexualidade e Laranja Mecânica, do escritor Anthony Burgess – decidi encarar a fera de vez, e não deu outra: amei! Fiquei alguns dias com o vocabulário Nadsat na cabeça, uma mistura entre russo e britânico, cuja versão abrasileirada tentou usar a mesma essência.

Decidi reler Harry Potter e a Pedra Filosofal, da J. K. Rowling. Se valeu a pena? Sim. Se fiquei apaixonado pela série de livros? Não. Porém, desta vez decidi adquirir os outros livros de Harry Potter, concluir algo que comecei na minha adolescência e por uma série de motivos não pude terminar. Também reli O Cidadão de Papel, do jornalista Gilberto Dimenstein, obra que propõe alguns debates e reflexões interessantes de problemas da sociedade. A minha versão era desatualizada, pois foi a mesma que li quando era mais novo, no entanto, foi prazeroso.

Li os cinco livros da Coleção O Mochileiro das Galáxias (O Guia do Mochileiro das Galáxias; O restaurante no fim do universo; A vida, o universo e tudo mais; Até mais, e obrigado pelos peixes!; Praticamente Inofensiva), do Douglas Adams. Alguns dos livros da trilogia de cinco (como está na contracapa do livro), me deixou mais interessado do que outros. O que eu menos gostei foi o terceiro livro. Em sua escrita de ficção científica, o autor destila uma série de críticas à sociedade. O meu personagem favorito é o Marvin, o robô depressivo. Não dá para ler sem sentir vontade de rir – é muita tristeza em uma personagem só.

Durante esses 30 dias, também consegui ler a Trilogia do Mago Negro (O Clã dos Magos, A Aprendiz e O Lorde Supremo), da escritora Trudi Canavan. A cada livro, aumenta o número de páginas, de focos narrativos, conflitos e resoluções. Recomendo para quem gosta de livros de fantasia e tenha tempo para ler com calma, caso contrário cria aquela sensação de que a leitura não está evoluindo. O que eu mais enrosquei na leitura foi o Lorde Supremo, o maior dos três livros e com tantas reviravoltas e problemas secundários, que eu ficava me perguntando quando a protagonista finalmente ia entrar em ação.

De literatura com temática gay, além do Bem-Te-Vi, citado no segundo paragrafo, cuja história é voltada ao público infantojuvenil, li A Festa, do médico carioca Felipe Sales Mariotto – romance com muitas críticas a este estilo de vida pós-moderno em que vivemos, onde a beleza, o glamour e a riqueza são hipervalorizados e O Segundo Travesseiro, do contista Moa Sipriano, cuja história me desanimou um pouco, pois eu costumava gostar das narrativas dele e nesta, em especial, os personagens são estereotipados demais, se tornando artificiais e mesmo na ficção, podendo se tratar de fantasias, é necessária certa verossimilidade ou ao menos, identificação por parte do leitor.

Os dois últimos livros que eu li são de autores que eu já admirava. LOVE – A história de Lisey, do Stephen King, foi uma surpresa maravilhosa! Dentro do próprio romance estão diversas referências sobre a vida do escritor, Scott, e o seu relacionamento com sua mulher, Lisey, além de fazer o leitor mergulhar no seu lago de terror e fantasia, eu digo, literalmente. Já Um Destino Ignorado, da Agatha Christie, esperava um pouco mais. Talvez por estar acostumado ao personagem, o queridinho detetive Hercule Poirot, senti que algo estava faltando. Hilary está tentando se matar e é convidada para uma missão de espionagem, assumindo a identidade de uma mulher que morreu em um acidente de avião. A história só começa a melhorar quando ela descobre onde estava o cientista e os conflitos começam a se resolver, ou seja, praticamente no final.

PS: Juro que tentei diminuir minha leitura este mês, por causa da fadiga mental, mas o meu vício e a vontade de aprender são maiores, visto que uma das melhores formas de desenvolver a arte da ficção, além de escrever, é lendo muito!

Confira abaixo a lista de livros lidos em Junho:

Bem-Te-Vi (Marli Porto)

Laranja Mecânica (Anthony Burgess)

Harry Potter e a Pedra Filosofal – J. K. Rowling

O Cidadão de Papel (Gilberto Dimenstein)

O Guia do Mochileiro das Galáxias (Douglas Adams)

O Restaurante no Fim do Universo (Douglas Adams)

O Clã dos Magos (Trudi Canavan)

A Aprendiz (Trudi Canavan)

O Prazer de Ler (Heloisa Seixas)

A Festa (Felipe Sales Mariotto)

A Vida, O Universo e Tudo Mais (Douglas Adams)

Até Mais, e Obrigado pelos Peixes (Douglas Adams)

O Segundo Travesseiro (Moa Sipriano)

Praticamente Inofensiva (Douglas Adams)

O Lorde Supremo (Trudi Canavan)

LOVE – A História de Lisey (Stephen King)

Um Destino Ignorado (Agatha Christie)

Ufa! É isso... Espero que tenham gostado. ;-) E vocês, o que estão lendo ou leram nos últimos dias? Abraços!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram