Pular para o conteúdo principal

Destaques

Resenha: Algum Dia — David Levithan

Pode o corpo alterar nossa percepção sobre a vida e o amor? E o que acontece quando todo dia mudamos de corpo e ainda assim tentamos manter um relacionamento? Em Algum Dia, do David Levithan, o leitor é levado a conhecer o desfecho da trilogia que encantou pessoas do mundo todo. No Brasil, a obra foi publicada pela Editora Galera Record, em 2020.

Compre o livro Algum Dia (David Levithan): https://amzn.to/3ifWxuE
Algum Dia foi um dos livros mais esperados por muitos leitores, entre eles: eu. Fui com muita expectativa na leitura. Não é que não tenha gostado do romance, mas senti falta de mais envolvimento entre os dois personagens principais. David Levithan nos deixa instigado por mais momentos entre Rhiannon e A, mas a narrativa acaba dando mais destaque para a condição do personagem sem corpo fixo.
"Agora eu sei: o amor não é tão simples. O amor nunca é sobre você dizer a si mesmo que deve fazer alguma coisa e então fazer. Nunca é sobre alguém te dizer que você deve fazer e por isso…

Cheiro de Livro Novo: Setembro, Mês das Leituras

Amantes da Literatura, estou passando por aqui para compartilhar mais livros que chegaram pelo correio. Quem é que não gosta de cheiro de livro novo? O editor Occello Oliver (autor de As 7 Cores que Ameime enviou as seguintes obras:


A Incrível Cidade que Apodreceu, do Christian Petrizi, publicado pela Cultura em Letras Edições 

Confira a sinopse: "Contos. Na pacata e florida cidade de Bouganvilla do Manancial, moradores se vêem às voltas com situações corriqueiras e inusitadas do cotidiano, misturadas às belezas das bouganvillas. Porém, o mau cheiro que assola a cidade deixa os moradores confusos até que um dia, tudo termina em uma imensa bola de fogo. "

CENSURADO: Sexo, Taras e Fetiches, do Alexandre Calladinni, Christian Petrizi, Davy Rodrigues, Léo Rossetti, Occello Oliver e Reynaldo Araújo, publicado pela Lado B Edições.

Confira a sinopse: "Os desejos acolhem a alma como se fossem embalá-la em sono profundo. O corpo demonstra ao mundo nossa vontade de extravasar, mudar e mergulhar fundo no lago do prazer, do amor e do sexo. Ao crescermos, observamos o mundo se transformar e, claro, nosso corpos acompanham as transformações e amadurecem para serem provocados, provados, amados e idolatrados. O corpo se abre ao prazer, que se abre à paixão e se transforma em calor, provocando ardência na alma. Para viver, basta que façamos valer nossos desejos, taras e fetiches ocultos em nosso 'eu' mais íntimo e profundo. A censura foi criada para proibir, mas tudo que é proibido, dizem, talvez seja mais gostoso. E não houve censura interna ou externa que impedisse o prazer de levar pelo ar os gemidos, gritos de loucura e pedidos desesperados de fazer o corpo arder e suar, numa mistura carnal de luxúria e amor. Ao quebrar a barreira do que é censurado, tornamo-nos pessoas verdadeiras e prontas para satisfazer qualquer alma pecaminosa".

Os livros estão disponíveis no site da Cultura em Letras Edições! 

***

Neste mês estou com muitas leituras programadas... Então, ainda não sei quando vou começar a ler A Incrível Cidade que Apodreceu e Censurado. Só para ter noção, ontem terminei de ler Respiração Artificial (Ricardo Piglia), e estou lendo três livros ao mesmo tempo, cada um diferente do outro, de forma que uma leitura não atrapalhe a outra: Divergent (Veronica Roth), em inglês; Que é Linguística (Suzette Haden Elgin) e O Talentoso Ripley (Patricia Highsmith).

Além do blog, também tenho que administrar o meu tempo para não deixar de escrever minhas próprias histórias: estou na metade de um romance e com alguns contos participando de processos seletivos. Também preciso me organizar para resenhar o Seres Mitológicos, coletânea de contos da Editora Buriti, organizado pelo escritor Fabrício Rufino – participo do livro com o conto Lágrimas de Medusa!

Mais posts sobre livros que ganhei em Setembro: 

Começando Setembro com Livros Novos

Minhas próximas Leituras Internacionais 

Bate-papo sobre a Bienal Internacional do Livro com o futuro vlogueiro literário, Hygor Varani 

Comentários

Mais lidas da semana