sábado, 1 de abril de 2017

Livro apresenta casos paranormais do demonologista e da vidente Ed e Lorraine Warren

Buscando inspiração para o meu próximo livro de terror sobrenatural e matando a minha curiosidade sobre talvez o mais popular casal de investigadores de fenômenos paranormais do mundo, decidi me aventurar na leitura de Deliver Us From Evil: Taken from the files of Ed And Lorraine Warren, ainda sem versão traduzida por alguma editora brasileira. Em tradução literal, Livrai-nos do Mal (o filme homônimo não é uma adaptação, mas também foi baseado em um livro de não ficção sobre fenômenos paranormais), o livro foi publicado em 1973, de autoria de J. F. Sawyer, provavelmente pseudônimo adotado por algum escritor, apresentando alguns dos casos investigados por Ed e Lorraine Warren, como se fosse uma espécie de diário do casal.


O livro de não ficção pode decepcionar quem busca narrativas elaboradas ou quem espera mais aprofundamento de cada um dos casos paranormais, o que não foi a minha situação. Sabendo exatamente o que esperar, afinal, não foi o meu primeiro contato com alguma obra escrita sobre Ed e Lorraine Warren ou sobre a temática, como Horror em Amityville, que, muitas vezes, acaba levantando mais perguntas do que trazendo respostas e são acusados de charlatanismo ou falsa categorização, na hora de descrever como não ficção, não deixando claro os limites entre fatos e ficção – discussões bastante frequente entre os céticos quando se tratam de casos paranormais e investigadores.

Para quem não sabe, o demonologista Ed Warren e a clarividente Lorraine Warren eram artistas e um dos diferenciais deste livro é que ele traz algumas das pinturas originais produzidas por ele. Muitos quadros de Ed Warren foram pintados inspirados em supostas casas mal-assombradas, as quais eles visitavam e muitas vezes eram convidados pelos donos que estavam com problemas e não tinham a mínima ideia de como fazer os acontecimentos estranhos pararem.

"O homem sempre temeu o desconhecido; mas quando o que é desconhecido é explicado para ele e se torna compreensível, ele aprende a tolerar e não mais temê-lo. Torne conhecida a área dos fenômenos psíquicos para ele, e ele não vai mais se apavorar. Este, então, é o papel do investigador psíquico. Este é o trabalho que Ed e Lorraine Warren se dispuseram a realizar" – J. F. Sawyer (Tradução: Ben Olivera)

Com mais de 50 anos de experiência no estudo e investigação de dezenas de fenômenos paranormais, antes de Edward Warren falecer em 2006, ele e sua esposa ministraram inúmeras palestras sobre demonologia, ocultismo e paranormalidade, a convite de padres, policiais, universidades e curiosos.

Segundo o autor do livro, as histórias compartilhadas no livro são reais, mas ele alterou os nomes para proteção das pessoas e construções envolvidas nos casos. No prefácio da obra, Ed Warren ressaltou que a maioria dos eventos relatados têm relação com bruxaria e demonologia e que sabe que existem muitas pessoas que vão ler como se fossem pura bobagem, mas que acredita que existem pessoas com a mente aberta e muitos profissionais que poderiam fazer bom uso da leitura, como o famoso caso de possessão demoníaca relatado nos livros O Exorcista e Exorcismo, que se tornou mais conhecido após a adaptação para o cinema.

Para os céticos que sempre questionaram Ed, o especialista em demonologia lembra que há particularidades em casos de infestações demoníacas que não podem ser refutadas com o argumento de que as vítimas são simplesmente pessoas com doenças mentais.

“O corpo físico de uma pessoa sob ataque demoníaco está quase constantemente sob ataque brutal. Barulhos de tapas podem ser ouvidos e marcas pelo corpo aparecem repentinamente. O cabelo, muitas vezes, pode ser visto sendo arrancado da cabeça por mãos invisíveis. A vítima grita em agonia, enquanto risos inumanos soam pelo ar. Enquanto isso, o cheiro de carne podre ou de enxofre podem permear a área tão fortes que causam náuseas. Obscenidades e linguagem grosseira fluem incessantemente da boca da infeliz vítima possuída, enquanto seus olhos estão cheios de ódio perturbado e muito escárnio. Isso soa como uma pessoa que está mentalmente doente?” Ed Warren (Tradução: Ben Oliveira)

Ed Warren lembra que quando se fala em exorcismo, muitas vezes o que vem em mente é o exorcismo católico, mas que existem inúmeras formas de exorcismo em diferentes religiões, todas com o mesmo propósito: afastar o mal. Outro ponto importante, é que ele faz a distinção entre magia branca e magia negra, para evitar o preconceito com os praticantes de bruxaria, além de afirmar o propósito de J. F. Sawyer de levar o conhecimento, não de fazer apologia ao satanismo. Seja em seus livros ou entrevistas, os Warren também lembram que muitas das vezes em que foram procurados por ajuda, foram de pessoas que acabaram brincando com objetos, como a tábua de Ouija, e/ou fizeram feitiços e invocações que fugiram de controle.


Deliver Us From Evil traz 12 casos investigados por Ed e Lorraine Warren envolvendo diferentes situações, como bonecas, casas assombradas, infestação, maldição e pessoas que quase enlouqueceram por causa dos acontecimentos estranhos – entre eles, militares que buscaram ajuda devido aos fenômenos que estavam assustando e incomodando alguns prédios –, como barulhos, vozes, cheiros, luzes e objetos movendo.

"Em muitos outros quartos da casa, aparições foram vistos flutuando, apenas para desaparecerem alguns segundos depois. Passos e batidas nas portas e nas paredes foram ouvidos. Muitas vezes, misteriosamente, as portas abriram e fecharam sozinhas" – J. F. Sawyer (Tradução: Ben Oliveira) 

Ao final do livro, o autor compartilhou o artigo de uma jornalista Betty Joan Burr que visitou Ed Warren e falou sobre o caso que inspirou o filme O Exorcista, que aconteceu em 1949. A autora comentou que os arquivos foram abertos para poucas pessoas – entre as que tinham acesso às informações confidenciais, estava Ed e Lorraine Warren. Ele narrou a história, que hoje em dia já é bem mais conhecida, levando em conta que Deliver Us From Evil foi publicado em 1973 e o livro de não ficção do jornalista Thomas B. Allen foi lançado somente em 1993. No texto, ela também ressalta ter sentido diferente na casa dele e que ele avisou que era por causa das más vibrações dos objetos colhidos nos casos investigados – muitos dos quais eram mantidos sob efeito de magia de quem fez os rituais e que mesmo tentando manter sob controle, havia um limite de até que ponto eles podiam afetar as pessoas que se aproximavam.

Uma das principais reclamações de muitos leitores foi que as histórias terminam sem um final, além de julgarem o livro mal escrito. Não há como afirmar até que ponto foi aumentado pelo escritor ou não, já que as obras foram co-escritas com Ed e Lorraine, mas uma coisa é certa: independente de você ser cético ou não, muitas vezes, estamos sujeitos a fenômenos estranhos. A popularidade dos investigadores entre profissionais que precisaram de sua ajuda, desde religiosos até médicos céticos, acaba dando credibilidade, mas como acontece com todos os casos, o ceticismo acaba sendo maior. Parece ser uma daquelas situações que só aceitamos quando acontecem com a gente, mesmo quando tentamos não acreditar e, em seguida, seguimos em frente como se nada tivesse acontecido. Para alguns, é melhor assim. Enquanto outros, persistem na jornada de documentar e investigar.

Imaginação ou realidade, histeria ou possessão, fraude ou fato? É inegável que os mistérios desconhecidos continuam provocando arrepios, tirando o sono, despertando a curiosidade de muitas pessoas e arrastando milhares de telespectadores para os cinemas.

Ficou interessado? Comprei o eBook em inglês na Amazon, disponível para Kindle.



Conheça o livro mais famoso que conta alguns dos casos investigadores por Ed e Lorraine Warren!



Seja para alimentar a curiosidade ou se inspirar (no caso de escritores e roteiristas de horror), acredito que independente de acreditar, precisamos aceitar que não temos respostas para tudo. Recentemente a DarkSide Books anunciou a publicação do livro 1977: Enfield (This House is Haunted: The True Story of the Enfield Poltergeist), escrito pelo jornalista e investigador paranormal Guy Lyon Playfair. No Brasil, foram publicados os livros Ed e Lorraine Warren: Demonologistas, do Gerald Brittle e Invocadores do Mal, da Cheryl A. Wicks, além de Amityville e Exorcismo que acabam se relacionando com o trabalho dos Warren e instituições voltadas para a pesquisa de fenômenos psíquicos.



*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e do livro de fantasia jovem O Círculo (Os Bruxos de São Cipriano  Vol.1), disponível no Wattpad.

Confira também: Lugar Sombrio – Livro sobre assombração de Connecticut, caso dos Warren, será publicado no Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram