Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Síndrome de Asperger: Camuflagem social não é cura

O que é autismo para você? Aprender a camuflar o autismo não é um sinal de cura. Autistas são diferentes. O autismo é um espectro. Autistas se movem neste espectro. Alguns Aspergers aprendem naturalmente a se camuflar, é um sinal de inteligência. Autistas que nunca passaram por intervenções, nunca tiveram atenção especial. que nem mesmo tinham ouvido ou se tinham ouvido sobre Síndrome de Asperger, acharam que não eram, pois 'são diferentes dos outros aspies'.


Autistas aprendem a observar comportamentos e raciocinam como as pessoas querem que eles reajam em determinadas situações. Ao negar a identidade autista de uma pessoa, só porque ela 'melhorou os comportamentos', ela pode facilmente desenvolver problemas de ansiedade e depressão e esse desamparo pode levar ao suicídio.

“Crescer foi um solitário e doloroso caminho. A Síndrome de Asperger não é uma doença, é uma maneira de ser. Não há nenhuma cura, nem é preciso. Há, no entanto, a necessidade de conhecimento e de adaptação por parte das crianças com Asperger, de suas famílias e de seus amigos. (...) Levou bastante tempo para que chegasse a este ponto, para saber quem eu sou. Meus dias de clandestinidade acabaram. Orgulho-me de ser um Asperger” –John Elder Robison, Olhe Nos Meus Olhos

Não parecer autista não é a mesma coisa que não ser autista. O cérebro dessa pessoa continua funcionando de forma diferente. Um autista ser camuflado e ainda assim ter dificuldade de se comunicar com os outros, só o tornará mais desconectado do mundo.

“Você não parece autista” é uma frase bem preconceituosa. Não carrega nada de bom. O autismo é uma condição nem sempre visível aos olhos de quem não entende do assunto e de pessoas que precisam se atualizar; Pessoas que não entendem quais são os mitos do autismo.

“Eu precisava parar de me forçar a me encaixar em algo que eu nunca poderia fazer parte” John Elder Robison, Olhe Nos Meus Olhos

Um Asperger naturalmente tem chance de sofrer com bullying. Um Asperger com superdotação aprende a se camuflar, pois sofre bullying em dobro, seja por ser um 'estranho' ou porque sabe mais do que seus colegas de turma e parece desafiar a autoridade de professores. Então, intencionalmente ou não, alguns aspergers vão se fechando do mundo e se 'normalizando'; eles entram em uma concha e tentam trancar uma parte deles lá, deixando visível só o personagem social que criaram. São autistas que só podem ser eles mesmos quando estão entre quatro paredes.

Os problemas da camuflagem são: autistas mais suscetíveis à sobrecarga. Em um mundo ideal, autistas não precisariam esconder suas altas habilidades, seus comportamentos autísticos e suas diferenças só para agradar não-autistas.



Leia mais textos sobre autismo e Síndrome de Asperger:

Autismo: Importância da leitura e das histórias para a compreensão social 

Resenha: O Cérebro Autista – Temple Grandin e Richard Panek 

Síndrome de Asperger: Orgulho autista e hiperfoco 

Autismo: Problema de representatividade na ficção ou no mundo real?

Síndrome de Asperger: Adam, adulto com autismo e os relacionamentos

Síndrome de Asperger: Guia do especialista mundial em autismo, Tony Attwood

Síndrome de Asperger: Memórias de um camaleão 

Autismo: Curta de animação para crianças explora a neurodiversidade

The Good Doctor: Personagem autista médico e o preconceito

Asperger: Autismo, histórias que contamos e a importância cultural

Vídeo: Trechos do livro Em Algum Lugar nas Estrelas (Clare Vanderpool)

Autismo no cinema: Filme Tudo Que Quero faz estreia tímida no Brasil

Autismo: Aspergers camaleões e o silêncio sobre adultos

Asperger na adolescência e amizade são temas do livro Em Algum Lugar nas Estrelas

Asperger: Autismo não tem rosto

Asperger (Forma leve de autismo): Graphic novel francesa ajuda na conscientização

Mary e Max: Adulto autista, solidão e amizade 

Aspie: entre o silêncio e o excesso de palavras

*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

Mais lidas da semana